5 estratégias práticas para alavancar as vendas em tempos desafiadores

Foto do Autor

Itaú Empresas

• 5 minutos de leitura

Analisar o cenário atual é uma atitude necessária para definir a estratégia de qualquer empresa. O contexto influencia no posicionamento e nas decisões tomadas, principalmente quando pensamos em alavancar as vendas.

Os momentos desafiadores exigem atenção. As escolhas feitas agora podem definir o destino do seu negócio e nós sabemos que é tempo para conquistar clientes e ter sucesso mesmo quando a situação não é a mais fácil. Pensando nisso, separamos aqui cinco dicas práticas sobre como transformar as dificuldades em oportunidades e alavancar as vendas em tempos desafiadores! Confira.

1. Priorize o bom atendimento e fidelize clientes

A qualidade do atendimento é um diferencial em qualquer circunstância. Porém, não dá para negar que em tempos de incertezas isso se torna ainda mais relevante, considerando a agressividade da concorrência e, também, a dificuldade de vender.


Ser bem atendido gera um valor que vai além de oferecer um bom produto ou serviço para o mercado. Por mais que o cliente se sinta satisfeito com o que adquiriu, faz toda a diferença receber algo a mais (uma atenção, uma experiência, uma oportunidade) na hora do consumo — e conseguimos provar!


Uma pesquisa feita pela Accenture em quase 20 países e com milhares de pessoas aponta que 47% dos entrevistados pagariam mais para ter uma experiência que superasse suas expectativas.


A experiência de compra envolve todas as impressões que o consumidor tem no seu relacionamento com a marca. Por exemplo, a embalagem do produto é tão importante quanto a conversa que o cliente tem com o vendedor.


Todos os detalhes importam e são eles que vão contribuir para a fidelização dos seus clientes. Ao gerar valor para o cliente, você consegue aumentar a satisfação dele e, com isso, passa a ter um aliado, que pode até se tornar promotor da sua marca e do seu produto.

2. Explore diversos canais de contato

Sabemos que a tecnologia diversificou as maneiras de comunicação com as pessoas. Isso pode e deve ser aproveitado não só nas relações pessoais, mas também para fortalecer o relacionamento das empresas com o seu público.


A internet é hoje uma das principais ferramentas de pesquisa e compra, o que não pode ser ignorado pelas marcas. Explorar diferentes canais de contato deve ser um dos focos de atenção para atrair, informar e conquistar os clientes.


Um grande exemplo disso é a importância das redes sociais para o mundo corporativo. Elas oferecem um alcance exponencial sem demandar um investimento tão alto quanto outras mídias. Outra vantagem de apostar nesse tipo de recurso é poder conhecer melhor o perfil das pessoas que interagem com a marca.


Vale perguntar para seus clientes quais os canais e redes sociais que estão mais acostumados a usar. A partir disso, é possível traçar uma estratégia nas suas redes sociais para postagens diárias ou semanais.


Se você ainda está começando e não tem essa informação, aposte nos canais em que negócios parecidos já estão presentes. Todo dia, separe um tempo para tirar dúvidas que foram compartilhadas nas suas redes e responder comentários. Durante a semana, reserve um tempo para avisar sobre novos lançamentos, promoções e produtos para as datas que você julgar importantes.


Deixar vários canais de comunicação abertos é essencial para facilitar o contato e para garantir acesso do cliente, mesmo em tempos de distanciamento social. Além disso, saber se posicionar e conversar com o público faz parte da construção de uma boa imagem para sua marca atingir sucesso.


Embarque nas redes sociais e cuide da sua comunicação por lá! Ferramentas de vendas dentro do facebook ou do instagram podem ser bons canais. Se estudos recentes afirmam que os brasileiros ficam, em média, 3 horas e 31 minutos por dia nas redes sociais, não explorar o poder dessas plataformas é perder chances preciosas. Aproveite também para fazer parcerias com outros perfis nas redes e conseguir chamar mais atenção para os seus produtos!

3. Cuide bastante do pós-venda

É comum que exista uma preocupação com o momento da venda ou até com as etapas anteriores. O que passa despercebido por muitas empresas é o pós-venda, já que pode parecer que o objetivo foi alcançado e que isso basta.


Logo, o cuidado com o pós é um diferencial que agrega valor à experiência do consumidor e que não pode ser deixado de lado em nenhum plano estratégico de venda.


O Sebrae, grande referência no ambiente corporativo e empreendedor, afirma que ter o cuidado com o pós-venda deixou de ser um "mimo ao cliente" e se tornou uma regra de gestão.


O que pode ser feito no pós-venda? O ideal é não falhar na entrega do produto ou serviço, além de continuar demonstrando interesse em manter uma boa relação com o cliente — especialmente para gerar novas oportunidades de negócio e, claro, uma visão positiva que leve o consumidor a recomendar a empresa justamente por se sentir satisfeito.


Se você percebeu que seu cliente adquiriu um produto que pode ser combinado com outro, ofereça-o. Se é um item que tende a ser usado como presente ou que permite uso contínuo, tenha essa informação anotada para indicar novamente no tempo certo. A dica é aproveitar o contato sempre que possível. Em tempos difíceis, as pessoas agradecem essa antecipação.


Além disso, peça feedback sempre que possível! Pedir algum retorno sobre a compra é uma das abordagens mais utilizadas e funciona muito bem. Normalmente, são enviados formulários de satisfação ou qualquer outro tipo de comunicado para perguntar sobre a opinião do cliente.


Outro ponto valioso é não deixar uma pessoa sem resposta no pós-venda. Todos os problemas devem ser resolvidos, tirando as dúvidas e ajudando sempre que for possível. Entram aí os serviços de atendimento ao cliente (SAC), mas, mesmo que você não tenha uma estrutura para isso, lembre-se de que as redes sociais podem cumprir bem esse papel — desde que não fiquem esquecidas.


A verdade é que a relação não acaba quando o negócio é fechado e alguém paga pela compra. Inclusive, para fidelizar cada pessoa é importantíssimo cuidar dela a longo prazo. Segundo pesquisa da Harvard Business School, um aumento de 5% da taxa de retenção dos clientes pode aumentar os lucros em margens de 25% a 95%.

4. Avalie constantemente os resultados

Toda movimentação do mercado e do seu negócio precisa ser observada para que as suas estratégias sejam eficazes. Quem não faz isso corre o risco de perder tempo, dinheiro e esforço em metas que não condizem com a realidade.


Contudo, como fazer isso se o seu negócio for pequeno? Uma boa estratégia que nós já contamos e vamos usar novamente é desenvolver e manter atenção para as redes sociais.


Verifique qual tipo de conteúdo tem mais interação, qual tipo de produto tem mais curtidas e em qual época. Observe também as perguntas que chegam para você e em páginas que ofereçam produtos parecidos com os seus. Então, analise isso com o que você tem oferecido e veja se está caminhando no mesmo sentido das suas observações.


Entenda também por que alguns produtos têm menos saída. Se é porque você divulga menos ou se é porque os consumidores não têm percebido o valor. Faça esse cruzamento de informações antes de tomar decisões para divulgar mais e melhor ou diminuir uma produção.


Não analisar os próprios resultados em fases desafiadoras pode comprometer a estabilidade da empresa. Acompanhá-los de perto é a melhor forma de refletir sobre as possibilidades e criar um plano de ação consistente.


Inúmeras marcas, percebendo a redução de venda no meio físico durante a pandemia, começaram a investir mais na divulgação online e intensificar a geração de conteúdo digital. A escolha impulsionou vendas e abriu caminho para uma nova forma de comunicação e contato com os clientes.


Saber como melhorar as vendas depende de testar estratégias e acompanhar os resultados. Por isso, use todas as ferramentas que puder para conhecer as preferências do seu público, entendendo o que o mercado vem pedindo e oferecendo.

5. Trabalhe com humanidade

Por último, um ponto que ganhou muita relevância durante a pandemia é o trabalho com humanidade. Empresas grandes ou pequenas em qualquer setor de atuação se destacam quando conseguem ser humanas.


De acordo com estatísticas da McKinsey, 70% da experiência de compra do cliente está relacionada com a sua percepção de como está sendo tratado.


O que isso significa? Apesar da preocupação e interesse em números, as relações comerciais são firmadas entre seres humanos — por mais que elas sejam feitas por meio de dispositivos tecnológicos. Ou seja, cada venda representa (pelo menos) uma pessoa do outro lado e isso não pode ser ignorado.


Os pilares humanos precisam existir na cultura de toda empresa, como empatia, ética, respeito e compreensão. Ser atencioso com os clientes, estar disponível para a comunicação e demonstrar humanidade nos posicionamentos são exemplos práticos disso.


Descobrir como alavancar as vendas envolve muito mais que focar em quantidade, mas pensar na qualidade como um todo para se diferenciar dos demais. Buscando as ferramentas certas, é possível superar qualquer desafio!


Como falamos de redes sociais para você, vamos também indicar a nossa! Afinal, temos muitas dicas preciosas por lá! Fique de olho no nosso perfil no Instagram.