Itaú Blog

Afinal, como se constrói o empreendedorismo do futuro?

Foto do Autor

Itaú Empresas

• 9 minutos de leitura

Imagine que você abriu o seu negócio em 2010. E muita coisa mudou de lá para cá, não é? Não apenas questões práticas do dia a dia, como ferramentas para gerenciar a sua empresa ou canais de comunicação com os clientes, mas temas mais amplos na sociedade. No passado, o digital era o futuro; hoje, ele já é essencial — e você, empreendedor, precisa saber como identificar as próximas evoluções e tendências.

Como se preparar para ter sucesso a médio e longo prazo sem conhecer as tendências e expectativas para os próximos meses? O que você está investindo agora pode impactar diretamente nos seus resultados em cinco ou dez anos. Se preparar para esse futuro é, portanto, fundamental para que o seu negócio continue relevante por muito tempo.

A partir desses conceitos, fica mais fácil estruturar um plano de negócios que ofereça ainda mais chances de sucesso. O que acha, então, de tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto e descobrir como construir o empreendedorismo do futuro? Continue a leitura deste artigo para entender o que esperar e como se preparar para se destacar no mercado. Confira!

O que o futuro está reservando para o empreendedorismo?

Ser um empreendedor nunca esteve tão em alta quanto no momento em que vivemos. Afinal, a transformação digital e os avanços tecnológicos proporcionam mais oportunidades aos profissionais que desejam iniciar o próprio negócio, acelerando a criação de empresas e o conhecimento das pessoas por novas marcas — o que também representou um aumento na concorrência.

Isso significa que é preciso se capacitar cada vez mais para exercer as suas funções e ter os resultados esperados. A sua marca pode ser ótima e o seu produto ou serviço também, mas nada vai funcionar se a operação não for eficiente, por exemplo. De que adianta ter todos esses pontos positivos, mas não ter uma gestão otimizada e automatizada para o dia a dia de trabalho?

É necessário buscar referências e soluções que ajudem a construir uma empresa mais eficiente como um todo. As boas ideias não param de surgir, mas só aquelas bem-executadas vão prevalecer. O futuro reserva um cenário de alta competitividade e exigência para quem deseja empreender, com a busca por conhecimento sendo um diferencial competitivo muito relevante.

Mais do que nunca, vai ser preciso conhecer ao máximo os seus consumidores, investir na digitalização da empresa e entender como as mudanças na sociedade afetam o seu modelo de negócio. Um primeiro passo para compreender mais sobre as características do empreendedorismo do futuro é conhecer mais sobre o conceito de Mundo BANI e levar os seus pilares para as suas operações.

A sigla para Brittle, Anxious, Nonlinear e Incomprehensible significa, em tradução livre para o português, Frágil, Ansioso, Não linear e Incompreensível. Essa é uma representação da sociedade atual, especialmente no cenário pós-pandemia, o que implica também no resultado e desempenho de uma empresa. Colocar todas as suas fichas em um negócio pode ser ainda mais arriscado no momento, por exemplo.

O mais importante, porém, é entender como você pode explorar cada um desses quatro fatores. A fragilidade pode ser enfrentada com a criação de negócios mais sólidos e que não dependam de que tudo dê certo para ter os resultados. A ansiedade reforça a necessidade de inovação constante dentro da rotina da organização para entregar sempre uma experiência positiva ao cliente final.

A não linearidade mostra como nem sempre aquilo que parece ser uma decisão definitiva é o melhor caminho a ser tomado. Afinal, fazer escolhas apenas a partir de padrões pode ser um pouco mais arriscado que o habitual. Por fim, a quantidade de informações disponíveis pode ser incompreensível em um primeiro momento, mas a organização pode transformar por meio de análises de fatos e situações.

O futuro do empreendedorismo está acompanhado pelo quê?

Dito isso, então, quais são as características e tendências do empreendedorismo do futuro?

Forte presença da tecnologia

A transformação digital é uma realidade, e a tendência é que ela se torne ainda mais relevante para negócios dos mais diferentes tamanhos e segmentos. Seja para facilitar a gestão financeira de uma farmácia, seja para potencializar o contato com os consumidores em redes sociais, por exemplo. Ou seja, é preciso adicionar a tecnologia ao seu fluxo de trabalho, deixando a execução das tarefas mais simples e eficiente.

Um exemplo? Levando seus produtos também para as vendas online. Fazendo cadastros do seu estoque em um sistema automático, que ajude você a entender quando é preciso renovar as compras de determinado produto, por exemplo! Isso também ajudará o seu negócio a ter uma visão de quais são as maiores demandas do público e no que investir nos próximos meses!

Necessidade pela automação

A automação dos processos é um complemento da presença da tecnologia no dia a dia das empresas. A ideia é transformar tarefas repetitivas, burocráticas e que não agregam tanto valor ao produto (ou serviço) em rotinas automatizadas. Isso inclui desde uma publicação nas redes sociais para divulgar o seu negócio ao preenchimento de informações financeiras no balanço da empresa — tudo acontecendo de maneira autônoma.

Isso não representa apenas o ganho eventual em produtividade, mas potencializa as atividades mais estratégicas do seu negócio. Em vez de perder horas com uma tarefa repetitiva, você pode dedicar outras horas do seu dia para definir um planejamento, escolher estratégias, estudar o mercado, enfim, encontrar maneiras de tornar o seu negócio ainda mais eficiente.

Definição de um propósito

As empresas também precisam ter propósitos bem definidos. A ideia é criar negócios que consigam atender às demandas dos consumidores hoje, mas sem comprometer o futuro das próximas gerações. Um deles pode ser a sustentabilidade. Apesar de ser relacionado ao meio ambiente, as práticas mais sustentáveis falam também sobre gestão de negócios mais responsável e ações sociais.

A sociedade entendeu que algumas práticas precisam ser repensadas, especialmente por conta de problemas como mudanças climáticas e a degradação do meio ambiente. Pensando nisso, uma das características mais marcantes do empreendedorismo do futuro é compreender a necessidade de construir negócios e soluções que sejam sustentáveis para a sociedade como um todo.

O objetivo é reduzir desperdícios e aproveitar melhor os recursos disponíveis. Uma prática que contribui não apenas para fortalecer o compromisso do seu negócio com a sociedade, mas também para se tornar uma empresa, de fato, sustentável, ou seja, que possa crescer de forma saudável.

Isso não significa, porém, que apenas as ideias diretamente ligadas à sustentabilidade vão ter sucesso. Trata-se de imaginar como um negócio, como um banco, pode ser mais sustentável dentro das suas possibilidades de atuação. Investir em sustentabilidade é garantir que o seu negócio não esteja causando um impacto maior no meio ambiente e na sociedade que o retorno que ele oferece.

De acordo com Luciano Ribeiro, Superintendente de Empresas no Itaú Unibanco, a sustentabilidade consiste em um elemento fundamental para continuar relevante no mercado.

"Cada vez mais o consumidor quer saber a origem das coisas, como são produzidas, quais os produtos que lá estão. Ele compra muito pelo propósito, ele quer amar aquela marca. Muitos consumidores não compram mais porque a empresa faz testes com animais, ou produz muito lixo, ou não trata bem os seus funcionários. A gente caminha para um cenário em que a sustentabilidade é ainda mais relevante."

Então, aproveite para dar destaque nas suas ações de compras de pequenos produtos, no cuidado com a economia de energia e também na valorização de quem trabalha com você!

Tomada de decisão baseada em dados

Um estudo Global State of Enterprise Analytics 2019 mostra que 40% das empresas no Brasil ainda não adotaram nenhuma prática referente ao uso de dados para tomadas de decisões, por exemplo. Esse é um cenário que dificilmente vai ter espaço no empreendedorismo do futuro. Mesmo que o seu negócio seja pequeno, isso não significa que os dados não possam fazer parte da sua realidade.

Com a implementação do chamado Big Data (capacidade de analisar e cruzar muitos dados) na sua organização, por exemplo, o seu negócio como um todo se torna mais eficiente.

Lembra que demos exemplos de cruzar os dados do estoque que acaba mais rápido com as preferências do consumidor? É por aí!

Isso vai colaborar desde a melhor tomada de decisão até as melhorias necessárias para tornar os seus produtos ou serviços mais atrativos para os seus clientes. Lembra que falamos sobre ser incompreensível? Os dados e informações ajudam a dar respostas e reduzir essas incertezas.

Uso da cultura e dos métodos ágeis

A cultura ágil surge para acabar com a rotina tradicional no mercado de trabalho, que era marcada por pouca liberdade para os profissionais e decisões hierarquizadas. De forma prática, esse conceito significa uma série de metodologias que buscam acelerar e otimizar os processos de uma empresa.

A cultura ágil incentiva a mudança mais profunda na estrutura das organizações. O objetivo é promover mais liberdade aos profissionais da empresa e, ao mesmo tempo, garantir a colaboração entre todas as partes.

Processos mais lentos são substituídos por uma dinâmica acelerada, que permite uma adaptação mais fácil da empresa em relação a possíveis desafios e ameaças. Ou seja, as empresas precisam ser mais rápidas para se adaptar e reagir em relação ao que acontece ao redor. O exemplo mais recente da pandemia mostra como é fundamental ter uma estrutura adaptativa e pronta para os desafios.

Esse conceito ajuda a estimular o desenvolvimento de colaboradores, criando um ambiente ideal para um alto nível de produtividade. O trabalho em equipe também é outro ponto positivo, fortalecendo a colaboração entre os profissionais de uma empresa. Trata-se de uma mudança importante, especialmente para aquele empreendedor que atua em várias frentes ao mesmo tempo e tem uma rotina repleta de responsabilidades.

A partir do momento em que a comunicação se torna mais direta e com menos ruídos, a quantidade de tempo e recursos desperdiçados é reduzida. O número de tarefas repetidas, por exemplo, também tende a diminuir. Afinal, os processos são mais transparentes e inclusivos, permitindo que cada um entenda melhor quais são as suas responsabilidades.

Projetos a partir da economia compartilhada

A economia compartilhada é um conceito que busca dividir o uso de recursos entre diferentes usuários para minimizar os custos e adotar um consumo mais sustentável. A ideia é que cada parte interessada desfrute dos benefícios de determinado serviço ou produto e, em troca, também seja responsável por arcar com valores proporcionais do seu custo.

Na prática, nada tão diferente do que dividir uma pizza com os seus amigos ou, até mesmo, o uso do carro e a divisão dos gastos com gasolina com quem mora na sua casa. Ou seja, a economia compartilhada sempre fez parte das relações sociais.

Porém, o conceito é cada vez mais profissionalizado e, atualmente, tornou-se um modelo de negócio explorado por muitas startups, por exemplo. Muito ligada ao conceito de sustentabilidade empresarial que falamos acima, o objetivo é que mais pessoas possam usufruir de um ativo sem, necessariamente, precisarem arcar com todos os custos.

Imagine, por exemplo, alugar uma sala comercial para o seu negócio. O problema, porém, é que a sua equipe se resume apenas a você e, por isso, o custo de uma locação seria muito elevado para os seus ganhos. Como resolver uma situação como essa? Com a economia compartilhada! Os espaços de coworking são a exemplificação desse conceito. Cada pessoa interessada paga um valor proporcional para usufruir dos recursos necessários.

De acordo com um levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), a mudança é significativa nos últimos anos. O estudo mostra que 81% dos brasileiros estão abertos aos diferentes modelos de economia compartilhada e 74% afirmam já ter utilizado essa modalidade.

Então vale a pena investir no empreendedorismo hoje?

De acordo com informações da Associação Brasileira de Startups (Abstartups), o número de startups no Brasil é 20 vezes maior do que em 2011. O aumento dessas empresas no país foi de 27% entre 2018 e 2019. Já a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) mostra que são mais de 53 milhões de empreendedores no Brasil.

Ou seja, ideias, empresas, produtos e serviços inovadores não faltam. E toda empresa pode ser inovadora, ainda que não seja uma startup! Mesmo os pequenos negócios podem inovar dentro das suas possibilidades e segmento de atuação. Estruturas menores que não vão crescer exponencialmente também podem se beneficiar dos avanços atuais.

Para se diferenciar, é fundamental adotar algumas práticas que garantam que o seu negócio seja visto como referência em um mercado que tende a crescer cada vez mais. O primeiro passo para isso é entender quais são as tendências e projeções para o empreendedorismo do futuro. Depois, é o momento de começar a se adaptar.

Como devo me preparar para ser destaque no empreendedorismo do futuro?

Na prática, o que deve ser feito para se preparar para ter sucesso no empreendedorismo do futuro? Listamos algumas dicas que podem ser úteis para ter mais chances de se destacar no mercado. Confira!

Encontre a sua paixão ou grande oportunidade

Como abordamos acima, os desafios de empreender são muitos, portanto, é fundamental que você invista o seu tempo — e recursos — em uma atividade pela qual você tenha mais interesse e paixão, e que esse seja o seu principal estímulo para encarar a rotina de um empreendedor no Brasil. É um primeiro passo para ter ainda mais motivação e prazer no seu dia a dia de trabalho.

Ao trabalhar com uma área ou setor com que você tem mais afinidade, as chances de sucesso são muito maiores, além do prazer em cada decisão e desafio a ser enfrentado para apresentar algo novo e eficiente ao mercado. O fundador da Nike, por exemplo, era um aficionado por corridas e foi essa paixão que o levou a criar uma das maiores empresas de calçados esportivos do mundo.

O cenário ideal, porém, é conseguir encontrar uma atividade que seja prazerosa e, ao mesmo tempo, você tenha um certo conhecimento. Melhor ainda é ficar por dentro de oportunidades que podem surgir em algum segmento específico, abrindo portas para que você desenvolva uma ideia ou um negócio mais completo e que possa se destacar.

Tenha uma visão ampla do seu mercado

É fundamental sempre estar atento ao panorama de tudo o que cerca o negócio. Concorrentes, comportamento do consumidor, produtos inovadores, enfim, ficar sempre de olho no que está acontecendo para nunca ficar para trás.

O principal objetivo do empreendedor deve ser evoluir constantemente e, para isso, é preciso estar aberto a conselhos e sugestões, sempre em prol da melhoria do seu negócio e do serviço oferecido ao consumidor ou mercado. Portanto, tenha uma visão ampla e sempre busque mais conhecimento e aprendizados.

A concorrência de mercado, por exemplo, representa o estudo do cenário competitivo no qual a sua empresa se encontra, ou seja, quais são as empresas e os consumidores dentro da área de atuação. Ao imaginar uma startup ou um pequeno negócio, é fundamental compreender quem são os players do mercado, como é feita a disputa, quais são os diferenciais e quais são as possíveis oportunidades.

Seja visível

Não se esconda nunca. Na fase boa e, inclusive, nos momentos ruins, é preciso se mostrar disponível para clientes, funcionários, concorrentes e para o mercado em geral. Seja visível para que as pessoas saibam quem é você e quais são seus principais ideais e objetivos no mercado. Dê a cara a tapa nas fases difíceis e seja reconhecido nos melhores momentos.

O empreendedorismo do futuro exige uma participação maior das empresas e marcas no mercado. Seja para anunciar novidades, seja para reconhecer dificuldades e eventuais falhas no processo. Uma forma de se manter relevante é investindo na sua presença nos canais digitais, criando uma relação mais próxima com a audiência e, até mesmo, oferecendo um ponto de contato acessível.

Sempre busque por melhorias

Para ter sucesso no empreendedorismo do futuro, é preciso estar de braços e mente abertos para sugestões e conselhos de quem entende do assunto. Saber ouvir também é importante, e uma prática interessante pode ser contar com um mentor ou buscar por conhecimento em instituições indicadas. A ideia é sempre encontrar formas de melhorar os seus processos internos.

O fundamental, porém, é sempre buscar os recursos necessários para que você melhore o que vai ser entregue à sociedade. De livros para empreendedores até cursos que contribuam com mais conhecimento. Quanto mais informações sobre como gerenciar o seu negócio, maiores serão as suas chances de ter um espaço de destaque dentro de um cenário de tanta competitividade.

Os negócios estão apresentando resultados positivos? Excelente, mas não é possível se acomodar, porque novos concorrentes podem surgir, as demandas dos clientes podem mudar, enfim, o cenário é de ainda maior instabilidade. A inovação precisa fazer parte da cultura de trabalho do seu negócio, garantindo que a oferta de valor sempre seja priorizada.

Dê o exemplo

De nada vai adiantar pregar inúmeras práticas, estratégias e teorias se, na realidade, você não segui-las à risca. Portanto, seja o primeiro a dar o exemplo: não busque o caminho mais fácil, mas aquele que é o correto. Construa a sua empresa a partir de ações honestas e transparentes, mostrando quais são os seus objetivos e o que vai ser feito para alcançá-los.

A sustentabilidade é um exemplo disso, já que as ações práticas valem mais do que uma campanha de marketing reforçando o compromisso do seu negócio com o meio ambiente. Execute os princípios desse conceito e garanta que as suas chances de sucesso realmente aumentem.

Crie uma cultura forte

A cultura organizacional de qualquer startup é fundamental para o sucesso, especialmente a longo prazo. Em um negócio de alto impacto e com tanta competitividade, essa qualidade se torna ainda mais importante. Ela é necessária para que todos tenham o mesmo foco em relação ao que é preciso ser feito para continuar inovando e melhorando a vida dos consumidores.

Não se acomode

Entre os principais desafios no empreendedorismo que devem ser evitados pelo profissional está o comodismo. Afinal, o seu negócio pode impactar o mercado por um período, porém, aos poucos, se tornar apenas mais um em meio aos concorrentes.

Mesmo que os resultados sejam sempre positivos, é fundamental não se acomodar na busca por novas soluções para o mercado. Ser um empreendedor de alto impacto passa diretamente por reconhecer que os processos podem sempre ser aprimorados.

Assim, é importante entender que o inovador de hoje, cada vez mais rápido, se torna o obsoleto de amanhã. Acomodar-se é, portanto, algo que deve ser evitado de qualquer maneira para quem quer causar um impacto maior dentro da sociedade.

O reconhecimento de que sempre é preciso melhorar passa também por um trabalho de autocrítica, como um dono de startup que, aos poucos, começa a adicionar profissionais cada vez mais capacitados ao seu time. Até mesmo para manter o entusiasmo, é necessário abraçar essa evolução constante dentro da sua organização.

Conhecer as características do empreendedorismo do futuro é o primeiro passo para se manter relevante por muito tempo. A partir dessas informações, você consegue direcionar todos os seus esforços para construir um negócio que realmente esteja preparado para atender às demandas e superar os desafios que o futuro reserva.

Agora que você já se aprofundou no assunto, o que acha de conhecer um pouco mais sobre outra das tendências do empreendedorismo do futuro? Leia outro dos nossos artigos e entenda por que as mulheres empreendedoras no Brasil estão dominando o mercado!