Itaú Blog

Cultura organizacional: O que é, qual a importância e exemplos!

Foto do Autor

Itaú Empresas

• 8 minutos de leitura

Pessoas reunindo as mãos no centro de uma roda melhorando a cultura organizacional

Muitas decisões tomadas na empresa não afetam apenas os colaboradores internos, mas também a forma como os potenciais clientes enxergam a organização. Portanto, definir uma cultura organizacional eficiente é fundamental para atrair novos talentos e, inclusive, ganhar seu espaço no mercado.

Mas você sabe como fazer isso? Antes de ajudá-lo nessa missão, vamos explicar detalhadamente o conceito de cultura organizacional, mostrando como estruturá-la dentro da empresa e muito mais. Confira!

O que é cultura organizacional?

Quando falamos em cultura organizacional de uma empresa, nos referimos à maneira que a organização trata seus parceiros, colaboradores e clientes, e conduz seus negócios. Portanto, a cultura está diretamente ligada às políticas, práticas e comportamentos da empresa — e para que ela seja realmente eficaz, é necessário que todos compreendam e apliquem a cultura na rotina da organização, em especial a liderança.

Quais os componentes da cultura organizacional?

A cultura organizacional define a identidade de uma empresa — e ter uma imagem positiva ou negativa impacta diretamente nos resultados da companhia. Podemos dizer que a cultura organizacional tem três componentes fundamentais. A seguir, explicamos quais são eles.

Pressupostos

Os pressupostos referem-se aos sentimentos e crenças ainda inconscientes, porém, muito presentes nos colaboradores.

Valores compartilhados

Os valores definem a razão pela qual os colaboradores executam suas obrigações diárias. Por exemplo, se a equipe tem mais empatia pelo consumidor.

Isso pode fazer com que eles criem iniciativas e políticas voltadas para melhorar a sua experiência — e não estamos falando só no intuito de vender mais, mas de garantir a real satisfação dos clientes.

Artefatos

Artefatos nada mais são que práticas de gestão, símbolos, histórias, serviços e padrões. Ou seja, estamos falando de coisas mais concretas que podem ser identificadas dentro de uma empresa.

Quais são os tipos de cultura organizacional?

Existem quatro tipos de cultura organizacional. A seguir, explicamos cada uma delas.

Cultura de poder

Empresas que têm como foco a geração de resultados, que estimula seus funcionários a competirem entre si para alcançar os objetivos traçados, são empresas que têm uma cultura de poder, na qual as decisões são centralizadas em apenas uma liderança.

Esse tipo de cultura é mais comum em empresas menores, em que o dono tem uma figura muito forte, uma vez que costuma acumular diversas funções.

A cultura de poder promove um desenvolvimento e crescimento das equipes, e do próprio negócio, mais lento, pois a delegação de tarefas é pequena e existe uma hierarquia muito clara, bastante firme.

Cultura de tarefas

Na cultura de tarefas, cada profissional tem uma tarefa específica a ser cumprida. O objetivo aqui é melhorar o desempenho dos colaboradores, extraindo o máximo do potencial de cada um deles.

Os profissionais têm a liberdade necessária para agir e expressar suas ideias. Com isso, é possível ter colaboradores que conseguem resolver problemas e, ao mesmo tempo, se mantêm motivados para melhorar seus resultados.

Por outro lado, nessa cultura, sempre haverá alguém para monitorar constantemente o colaborador, a fim de garantir que as tarefas estão sendo executadas corretamente.

Cultura de pessoas

Uma cultura que tem como foco as pessoas e que valoriza os seus colaboradores é muito importante para garantir a produtividade das equipes — e é aqui que a cultura de pessoas se encaixa.

Negócios com essa cultura oferecem espaço para o colaborador se desenvolver e crescer dentro e fora da organização. Eles são ouvidos com atenção e têm suas ideias reconhecidas.

Cultura de papéis

Na cultura de papéis nos referimos às estruturas hierárquicas definidas na empresa — isto é, cada um sabe exatamente o que lhe compete fazer. Neste modelo, não há flexibilidade de tarefas, uma vez que o colaborador deve fazer lidar apenas com o que foi designado a ele.

As regras são fundamentais dentro da cultura de papéis. O espaço para inovações é mais limitado, segurando não só o crescimento do negócio, mas o desenvolvimento dos colaboradores, pois todas as tarefas são engessadas.

Vale a indicação: Já pensou em ter uma conta empresarial completa e com diversas soluções para ajudar na gestão da sua empresa? Confira os benefícios da conta PJ do Itaú Empresas.

Qual a importância da cultura organizacional?

Você já viu alguma empresa que pregava ser moderna, mas, na prática, adotava comportamentos antiquados? Por exemplo, divulgar que sua principal preocupação é com a qualidade de vida do colaborador, porém, não permite que sejam realizadas jornadas mais flexíveis para assegurar que o profissional cuide de sua saúde física e mental?

Nesse momento, a cultura organizacional aparece como uma peça importante, que permitirá que todos entendam como a empresa se posiciona e funciona, e garantirá que as promessas sejam cumpridas. Dessa forma, é possível fazer com que os colaboradores tenham uma sensação de pertencimento e de responsabilidade, permitindo que cada um entenda o seu papel.

Com uma cultura organizacional bem definida e eficaz, você conseguirá reduzir as taxas de turnover na empresa, os índices de absenteísmo e, consequentemente, aumentar a retenção de talentos.

Como definir a cultura organizacional na sua empresa?

Ao chegar até aqui, você já deve ter percebido quanto uma cultura organizacional pode beneficiar a sua empresa. Pensando nisso, queremos ajudar você a definir a cultura organizacional na sua empresa. A seguir, separamos os principais fatores que devem ser observados. Veja só!

Processo de contratação

Antes de contratar um colaborador, os gestores já sabem quais são os atributos esperados nos times. Logo, a difusão da cultura organizacional deve estar ligada à contratação de novos talentos que se encaixem nesse perfil.

Por exemplo, se a sua empresa oferece aos seus colaboradores mais autonomia para executar os processos, então, é preciso contratar profissionais que tenham boas iniciativas.

Rotina de trabalho

A cultura organizacional precisa estar inserida na rotina de trabalho dos colaboradores. Eles precisam mostrar que são capazes de conviver dentro dos valores compartilhados pela sua empresa. Tais valores estão presentes diariamente no dia a dia da organização, como na convivência, nos relacionamentos, nas mais simples ações diárias, nas melhorias etc.

Sentimento de pertencimento

Para ter uma cultura organizacional bem-sucedida é importante que os colaboradores criem uma sensação de pertencimento, a fim de que eles se envolvam com as propostas da organização de uma maneira que vejam o sucesso da empresa como um sucesso pessoal.

Quais os desafios desse processo?

Para construir uma cultura organizacional sólida, os líderes precisam dar uma atenção especial a alguns fatores que são considerados verdadeiros desafios nesse processo. Veja, a seguir, quais são os principais deles.

Comunicação interna

Garantir uma boa comunicação interna é fundamental para assegurar que todos compreendam a cultura organizacional da empresa. Nesse momento, também é importante estreitar a relação entre colaboradores e líderes, a fim de dar mais liberdade para que os profissionais expressem suas opiniões e construam soluções juntos.

Trabalhar com feedbacks, treinamentos, conscientização das equipes, reuniões e transmissões de valores também é essencial para garantir uma cultura organizacional eficiente.

Transformação da cultura

A cultura de uma empresa sempre está propensa à transformação, uma vez que ela é influenciada pelas exigências dos seus consumidores, pelo mercado, pelos colaboradores, entre outros fatores.

Sendo assim, incorporar novas mudanças se torna um desafio, pois nem todos estão prontos para ela. No entanto, é importante deixar claro que essas mudanças são para o bem da companhia, pois é isso que a fortalece no mercado e a faz crescer.

Comportamentos negativos

Da mesma forma que no momento do recrutamento as empresas busquem profissionais com valores compatíveis ao dela, é importante monitorar o comportamento de cada um deles para minimizar atitudes negativas.

Portanto, é possível prevenir que funcionários com comportamentos inadequados se tornem referência dentro da empresa e prejudiquem o clima organizacional.

Quais os principais exemplos de empresas que praticam a cultura organizacional?

Você aprendeu muita coisa até aqui, concorda? Pois bem, para ajudar a compreender melhor como funciona uma cultura organizacional bem definida, separamos abaixo alguns exemplos de algumas das maiores empresas do planeta. Confira!

Google

O Google conta com uma cultura organizacional muito atrativa e moderna. A sua gestão de pessoas é outro fator que chama muito atenção dos talentos do mercado. Com um ambiente descontraído, focado em oferecer aos seus colaboradores mais conforto e bem-estar, ele ajuda a motivar as equipes.

Além de contar com um ambiente democrático, o Google aposta em uma hierarquia horizontal, que valoriza ideias de todos os profissionais e oferece a eles liberdade criativa para inovarem.

Netflix

A Netflix tem uma cultura organizacional focada nos processos e na flexibilidade de condutas, a fim de evitar excesso de gastos. Além disso, a empresa afirma que seus colaboradores estão aptos para assumir diferentes responsabilidades, coordenar suas tarefas e, claro, responder pelos seus atos.

Itaú

O Itaú destaca-se por uma cultura organizacional pautada na ética, na inovação e no comprometimento com o cliente. A instituição financeira incentiva seus colaboradores a buscarem soluções criativas e eficientes, promovendo um ambiente de trabalho colaborativo e diverso. Além disso, o Itaú prioriza o desenvolvimento profissional de seus funcionários, oferecendo amplas oportunidades de crescimento e aprendizado contínuo.

Nubank

Mesmo com pouco tempo de mercado, a Nubank conseguiu criar uma cultura organizacional muito forte. A instituição preza pela integração de clientes e colaboradores. Logo, ela oferece uma cultura inclusiva, criativa e descontraída — o que é um ponto muito positivo para profissionais que buscam por mais liberdade dentro da empresa.

Percebeu o quanto a cultura organizacional é importante? Converse sempre com suas equipes e leve em consideração a opinião dos colaboradores para que, juntos, possam definir uma cultura flexível e criativa, que contribuirá para o sucesso da empresa e dos profissionais que fazem parte dela.

Para darmos continuidade a esse assunto tão importante, separamos mais um artigo que pode contribuir para essa discussão. Confira nosso post Cultura organizacional: o poder das pequenas e grandes empresas.