Itaú Blog

Dez anos de conquistas do Itaú Mulher Empreendedora

Criado para apoiar o desenvolvimento de negócios liderados por empreendedoras, o programa já impactou as vidas de mais de 800 mil mulheres.

Foto do Autor

Itaú Empresas

• 4 minutos de leitura

Lançado em 2013, o Itaú Mulher Empreendedora tem como objetivo apoiar o desenvolvimento de empresas lideradas por mulheres. A iniciativa é resultado de uma parceria com a International Finance Corporation (IFC) e tem como base uma plataforma que reúne soluções, ferramentas e apoio a iniciativas de capacitação e conexão entre empreendedoras brasileiras.

Dez anos após o início do projeto, a plataforma do projeto contabiliza uma base de mais de 28 mil mulheres cadastradas — os conteúdos e trilhas de aprendizado sobre gestão e negócios já foram acessados por mais de 2 milhões de pessoas.

“Ao apoiar e fomentar o empreendedorismo feminino, estamos contribuindo para a geração de renda, emprego, cidadania e independência financeira para as mulheres, com impacto positivo não apenas para elas e suas famílias, mas para toda a comunidade do entorno. Entendemos que o apoio a essa causa por organizações privadas e por meio de políticas públicas é uma ferramenta de transformação social e inclusão”, afirma Luciana Nicola, Diretora de Relações Institucionais e Sustentabilidade do Itaú.

Raio-X: Itaú Mulher Empreendedora

Os números que marcaram a primeira década do projeto:

  • Mais de 2 milhões de acesso a plataforma
  • 28 mil mulheres cadastradas
  • Mais de 200 conteúdos e trilhas de aprendizado gratuitas
  • 800 mil mulheres impactadas
  • Conteúdos visualizados por 115 mil pessoas em 2022

As frentes de atuação também incluem o apoio a programas de aceleração, ecossistemas de inovação e iniciativas de fomento ao empreendedorismo feminino. A rede de parcerias conta com iniciativas como o programa de aceleração Quartzo, o podcast Empreende Aí, a Rede Mulher Empreendedora e o Fave.la, organização que atua no desenvolvimento de centros de tecnologia em territórios vulneráveis. Juntas, essas parcerias já impactaram mais de 800 mil mulheres.

“Nosso foco de atuação é fomentar o desenvolvimento de negócios liderados por mulheres pretas, pardas e indígenas das regiões Norte e Nordeste do país, onde o número de empreendedoras na informalidade é maior, segundo dados da Rede Mulher Empreendedora. Fico feliz em dizer que as mulheres que participaram do Itaú Mulher Empreendedora puderam sentir os impactos positivos do programa em seus empreendimentos”, afirma Nicola.

Avanços Regulatórios

A evolução das políticas públicas é um importante fator na criação de um ambiente de negócios orientado pela igualdade de gênero. Os avanços podem ser observados em movimentos como a Lei nº 14.457/2022. Em vigor desde o dia 20 de março a lei incentiva a contratação de mulheres e obriga as empresas a promoverem treinamentos de combate ao assédio sexual.

Próximos Passos

A partir dos resultados conquistados ao longo de sua primeira década de operação, o Itaú Mulher Empreendedora lançará uma nova rodada de projetos voltados ao fortalecimento do empreendedorismo feminino. Entre as ações, está a realização do Itaú Mulher Empreendedora Capacita , uma sequência de workshops presenciais em dez capitais, em parceria com a Rede Mulher Empreendedora. As novas fontes de atuação também incluem cursos via WhatsApp e o Empreenda e Renda, programa de capacitação baseado em frentes de conteúdo, mentorias (oficinas digitais e presenciais) e capital Semente (apoio financeiro para participantes com negócios de alto potencial). A previsão é que a iniciativa deverá abrigar uma base de 30 mil mulheres capacitadas e 150 negócios acelerados. “É importante lembrar que nossa plataforma de capacitação continua ativa e gratuita. O Itaú Mulher Empreendedora oferece mais de 200 conteúdos disponíveis para quem estiver buscando capacitação de qualidade, incluindo trilhas de conhecimento criadas por parceiros e especialistas em gestão e negócios”, diz Nicola.