Itaú Blog

Mulheres se destacam no mundo das franquias

Foto do Autor

Itaú Empresas

• 7 minutos de leitura

Elas são donas de quase a metade dos negócios e faturam mais. Saiba como dar os primeiros passos nesse caminho de empreendedorismo

Entre os brasileiros que trabalham por conta própria ou possuem uma empresa com ou sem empregados, 34% são mulheres, segundo pesquisa do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) com base em dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O número ainda está longe de representar a participação feminina na população, que é de quase 52%. Mas está crescendo. Há cinco anos, elas eram 32% do grupo de empreendedores.

Em um modelo específico de negócio, porém, a presença delas praticamente já se igualou à dos homens: as franquias. De acordo com um estudo da Associação Brasileira de Franchising (ABF), elas já são donas de cerca de 49% das franquias do país. Isso mostra que o franchising combina muito com mulheres que empreendem.

Vantagens do modelo

As franquias costumam ser um caminho mais seguro para quem decide montar uma empresa. Afinal, elas podem ser definidas como cópias de um negócio que já se provou viável. Alguém teve uma ideia de produto ou serviço, testou no mercado, bateu cabeça, aprendeu, replicou em outras unidades próprias, consolidou a sua marca e resolveu compartilhar a fórmula vencedora com outros interessados – e, claro, lucrar também com isso.

Quem entra na rede tem acesso a todo esse conhecimento. Sabe quanto precisa investir, quanto pode ganhar, recebe projetos, treinamentos, lista de fornecedores e outras ferramentas para colocar logo o negócio para funcionar.

Para quem não tem experiência no mundo empresarial, esse pacote completo pode significar muito. De acordo com o Sebrae, no Brasil, cerca de 25% das empresas criadas do zero fecham as portas em menos de dois anos. Entre as unidades franqueadas, o índice é de apenas 5%.

Mas esse caminho também envolve riscos. Boa parte deles estão relacionados com a escolha do segmento de atuação, do tipo de negócio e da marca da franquia. Nessa hora, é preciso fazer muita pesquisa.

Por onde começar

O Brasil dispõe hoje de cerca de 2,9 mil redes de franquias, em onze segmentos principais: 1. Alimentação; 2. Casa e construção; 3. Comunicação, informática e eletrônicos; 4. Entretenimento e lazer; 5. Hotelaria e turismo; 6. Limpeza e conservação; 7. Moda; 8. Saúde, beleza e bem-estar; 9. Serviços automotivos; 10. Serviços educacionais; e 11. Outros serviços.

Uma pesquisa do Guia Franquias de Sucesso com 789 interessados em abrir uma franquia mostrou que os segmentos que mais atraem as mulheres são alimentação (57,43%), serviços de beleza e saúde (49,71%), serviços diversos (36,57%), cosméticos e perfume (34,29%), turismo e viagem (26,57%), brinquedo e diversão (22,57%) e pet shop (22,57%).

Um bom ponto de partida para conhecer as opções de franquias é o site da ABF. A principal entidade do setor reúne as informações básicas sobre as suas cerca de mil redes associadas, como data de fundação, número de unidades, valor do investimento inicial e dados de contato, que podem ser consultadas por nome ou segmento.

Como escolher

O processo de escolha deve ser muito cuidadoso – e ele acontece nas duas direções, ou seja, tanto o franqueado quanto o franqueador precisam ter certeza de que suas características e seus interesses combinam.

Após definir o segmento e o ramo do negócio, uma candidata a franqueada deve selecionar as marcas que cabem nos seus sonhos e na sua disponibilidade de recursos para pesquisá-las mais a fundo.

Então é hora de buscar informações sobre cada uma delas. Depois de entrar em contato com a franqueadora para obter informações básicas e manifestar seu interesse em eventualmente se associar à marca, a empreendedora será chamada para uma entrevista.

Antes de assinar qualquer contrato, ela receberá um documento chamado Circular de Oferta de Franquia (COF), com uma série de informações que os franqueadores são obrigados a apresentar aos interessados, como a história da marca, investimentos necessários, taxas mensais, treinamentos oferecidos e regras que deverão ser seguidas pelos franqueados.

O documento também inclui a relação de todos os franqueados atuais e dos que deixaram a rede nos últimos dois anos. Entrar em contato com alguns deles para saber o que pensam da marca pode ser importantíssimo no processo de escolha.

Pesquisa in loco

Pesquise também o que os clientes falam sobre aquela marca. Visite as redes sociais da empresa, leia comentários, consulte a reputação da franquia no site Reclame Aqui e veja como ela responde às reclamações e se comunica com o público. Todos esses fatores pesam na decisão.

Também é fundamental visitar algumas lojas, testar seus produtos e serviços, conversar com clientes e funcionários e se imaginar à frente de um negócio como aquele. Se a razão aprovar e o coração bater mais forte por alguma das franquias pesquisadas, você provavelmente terá encontrado o seu caminho como empreendedora. E poderá contar com a ajuda da franqueadora para aprender a caminhar.

Mulheres faturam mais

As estatísticas são favoráveis a elas. Um estudo de uma das consultorias mais importantes do setor, a Rizzo Franchise, mostrou que franquias com donas mulheres faturam em média 32% mais que a dos homens. Segundo a empresa, as razões mais prováveis são algumas qualidades que se destacam mais no público feminino, como organização, estabilidade com a equipe de funcionários e adaptabilidade aos padrões exigidos pelo franqueador. Também pesam a favor das mulheres foco, atenção aos detalhes, paciência, liderança inspiradora, comunicação e simpatia com os clientes.