Itaú Blog

Como achar o ponto de equilíbrio financeiro da sua empresa?

Foto do Autor

Itaú Empresas

• 8 minutos de leitura

Mulher repondo itens em uma vitrine de comidas

Abrir um negócio gera sempre uma questão importante para os empreendedores de primeira viagem: como conseguir identificar o quanto é preciso fazer a empresa vender para superar os custos fixos mensais e gerar o crescimento do negócio?

O que ajudará você nesse processo é conhecer o ponto de equilíbrio. Esse é um conceito que permite identificar tudo o que pode influenciar as finanças da empresa e traçar estratégias para alcançá-lo.

Você ainda não conhece o termo? Confira, a seguir, as principais informações sobre o assunto e veja formas de alcançar os resultados esperados.

O que é o ponto de equilíbrio financeiro?

O ponto de equilíbrio financeiro é o momento no qual a sua empresa alcança o ponto zero, ou seja, quando os valores das receitas são equiparados ao de despesas. Ou seja, é o momento no qual não há prejuízos para seu negócio (mas, ao mesmo tempo, nesse estágio também não há lucro). É importante explicar: esse não é o objetivo final do seu negócio. Mas alcançar, pelo menos, o ponto de equilíbrio financeiro é fundamental para garantir que a empresa consiga continuar sua atuação.

Qual é o ponto de equilíbrio contábil, econômico e financeiro para a empresa?

Ok, falamos de forma geral no ponto anterior. Mas no dia a dia da companhia, ela passa por diversos “pontos de equilíbrio” para garanti-lo nas mais diferentes áreas administrativas do negócio.

Por isso, temos três tipos: contábil, econômico e financeiro. Vamos entender mais a seguir.

Equilíbrio contábil

Esse é o mais utilizado no dia a dia das empresas, principalmente pequenas e médias, pois é o mais simples de ser controlado. O cálculo é feito da seguinte forma:

custos e despesas fixas da empresa / margem de contribuição

Equilíbrio financeiro

Uma variação do equilíbrio contábil é o financeiro. A diferença, nesse caso, é que temos a retirada de alguns pontos no cálculo. Por exemplo, é retirado dos custos fixos o valor da depreciação dos ativos, entre outras despesas que não são desembolsáveis (ou seja, que saiam do seu fluxo de caixa no momento).

Considerar esse ponto é importante porque realmente a depreciação de um ativo pode ser, de fato, uma despesa para o negócio no controle financeiro.

Mas, quando analisamos o equilíbrio econômico, a depreciação não é relevante. Nesse caso, o que importa são os valores que representam saídas de dinheiro de caixa da empresa.

O cálculo é feito com essa fórmula:

custos e despesas não desembolsáveis / margem de contribuição

Equilíbrio econômico

Outra variação do equilíbrio contábil visa também identificar e garantir o lucro que você deseja atingir naquele período. Ou seja, a ideia não é só gerar o “prejuízo zero”, mas o ponto que gere o lucro mínimo esperado para seu negócio.

custos e despesas fixas + lucro mínimo / margem de contribuição

O que compõe o ponto de equilíbrio de uma empresa?

Citamos alguns termos anteriormente que podem ser mais desconhecidos, não é mesmo? Por isso, vamos explicá-los melhor a seguir.

Despesas fixas

São todas aquelas que fazem a sua empresa funcionar. Ou seja, elas estão sempre presentes mensalmente em seu negócio.

São algumas delas:

● folha de pagamento;

● materiais de escritório;

● aluguel do espaço para atuar;

● uso de softwares por assinatura;

● contas de água, luz e telefone, entre outros.

Vale lembrar que, aqui, não entram valores relacionados com produtos que serão revendidos, matéria-prima ou comissões. Isso estará presente na precificação do produto ou serviço.

Margem de contribuição

Esse indicador diz respeito ao ganho bruto com vendas. Ele tende, também, a ser muito utilizado por quem está em busca de definir a precificação do produto.

Como usar o ponto de equilíbrio?

O ponto de equilíbrio pode ser utilizado para estimar o volume de vendas que seu negócio deve atingir para que ele seja alcançado e, assim, engajar os times para obter melhores resultados para chegar às metas traçadas. Por exemplo, ao definir o mínimo de valor em vendas que deve ser realizado, é possível criar incentivo para os colaboradores por meio de comissão. Com isso, potencializam-se as chances de sucesso para alcançar as metas. Assim, o ponto de equilíbrio pode ser fundamental para criar metas objetivas e alinhar todos os colaboradores para atingi-las. Também, para verificar quais mudanças precisam ser feitas a fim de alcançar tais objetivos. Por exemplo, pode ser necessário investir em marketing, melhorar os processos de produção, renegociar valores com fornecedores, entre outras questões para facilitar o alcance do equilíbrio financeiro. E, com isso, potencializar as possibilidades de crescimento. O ponto de equilíbrio tem outro aspecto que é pouco abordado: ele tende a representar o nível de risco da empresa. Ou seja, quanto menos tempo se demora para alcançar esse ponto, menor é o risco do negócio. Se o seu ponto de equilíbrio é alto, significa que é necessário ter um maior volume de vendas para alcançar os resultados esperados. Ou seja, ele estará mais suscetível a passar por problemas se ocorrerem situações adversas no mercado (como uma crise). Além disso, são negócios que demoram mais para alcançar um determinado nível de rentabilidade.

Como chegar ao ponto de equilíbrio da empresa?

Para alcançar o ponto de equilíbrio, alguns aspectos devem ser observados para facilitar o processo. Algumas dicas para isso são:

● observe formas de enxugar gastos desnecessários, principalmente para companhias que estão começando e enfrentam dificuldades de chegar ao ponto de equilíbrio, muitas vezes há gastos que poderiam ser reduzidos. Por exemplo, mensalidades de alguns softwares pode ser diminuídas utilizando apenas um que agregue todas as funções;

● estabeleça metas de vendas consistentes no seu business plan e veja como é possível investir para potencializar esse ponto;

● identifique gargalos existentes nos seus modos de produção e, assim, reduza-os, pois podem gerar gastos que não são necessários no dia a dia;

● automatize processos que poderiam ser feitos por meio de um software, reduzindo custos operacionais. Isso ajuda, inclusive, no processo de digitalização das empresas.

O ponto de equilíbrio é uma forma importante de trazer uma gestão financeira racional e permitir a escalabilidade do negócio. A partir disso, é possível programar um crescimento sustentável da companhia, evitando problemas futuros.

Mas afinal, qual o papel da gestão financeira do seu negócio? Para entender essa questão e ajudar a formar seu conhecimento financeiro para potencializar o crescimento do seu negócio, conheça a plataforma de aprendizagem do Itaú Meu Negócio.