Itaú Blog

Vendas online turbinadas: 22 dicas para aumentar a presença digital do seu negócio

Confira as recomendações do consultor de negócios do Sebrae-SP Eder Max, especialista em e-commerce.

Foto do Autor

Itaú Empresas

• 2min minutos de leitura

Na era digital, a presença de um negócio no ambiente virtual tem se tornado cada vez mais importante. Mas, como impulsionar o e-commerce e destacar-se em um mercado tão competitivo? Para tratar do tema, entrevistamos o consultor de negócios do Sebrae-SP Eder Max, especialista em vendas online. Na conversa, ele apresentou 22 dicas práticas sobre temas como o uso das redes sociais, a importância do SEO, ferramentas de automação de marketing, a relevância da publicidade paga e como melhorar a experiência, a satisfação e a fidelização dos clientes. Confira.

5 ferramentas que você precisa dominar

Existem diversos softwares para automatizar e otimizar as operações de e-commerce. Para começar, o especialista do Sebrae recomenda dominar cinco ferramentas essenciais:

• Plataforma de e-commerce ou marketplace: Fornecem infraestrutura, ferramentas de gerenciamento de pedidos e recursos de segurança para facilitar as transações. Plataformas de e-commerce são usadas para a criação de lojas exclusivas, enquanto os marketplaces abrigam diversos vendedores.

Ferramenta de análise de tráfego: Fornece insights sobre o comportamento dos visitantes, ajudando a entender o que atrai e mantém os clientes. Permite rastrear métricas de conversão, identificar páginas de alto e baixo desempenho e otimizar o funil de vendas. Além disso, suporta decisões de marketing baseadas em dados ao revelar as fontes de tráfego mais eficazes. A mais conhecida é o Google Analytics.

Gestão de relacionamento com o cliente: Conhecido pela sigla em inglês CRM, esse tipo de ferramenta permite segmentar clientes, personalizar ofertas e proporcionar uma experiência de compra melhor e mais personalizada. Também fornece dados valiosos para orientar estratégias de marketing e vendas.

Gestão de carrinho abandonado: Ajuda a recuperar vendas perdidas ao identificar e reengajar os clientes que deixaram itens no carrinho sem finalizar a compra. Além disso, fornece insights sobre as razões de abandono, permitindo melhorar a experiência do cliente.

Ferramenta de automação de marketing: Automatiza tarefas de marketing e vendas, otimizando campanhas e aumentando a eficiência. Esse tipo de ferramenta facilita o envio de e-mails personalizados, a segmentação de clientes para personalizar conteúdo e ofertas, o gerenciamento de campanhas de marketing multicanais e a coleta e análise de dados de clientes para melhorar estratégias de marketing.

5 boas práticas no uso das redes sociais para impulsionar o e-commerce

As redes sociais oferecem um canal poderoso para promoção e direcionamento de tráfego para o e-commerce da empresa, mas devem ser utilizadas de maneira estratégica para preservar a sua relevância para os clientes. As seguintes práticas contribuem nesse sentido:

• Evite fazer apenas promoções diretas dos seus produtos. Em vez disso, adote uma abordagem mais sutil, compartilhando conteúdo relacionado ao estilo de vida e dicas inspiradoras alinhadas com a identidade da sua marca. Mostre como seus produtos se encaixam no contexto da vida dos seus clientes.

• Responda aos comentários e mensagens dos seguidores, demonstre interesse genuíno, mantenha conversas significativas, faça perguntas. A dica aqui é sempre interagir e nunca entrar em discussão com o cliente.

• Use hashtags que falem da sua empresa e do seu produto. As hashtags aumentam a visibilidade dos posts, exibindo-os para mais usuários das redes sociais. Evite hashtags genéricas, como #comercio ou #sextou, que são pouco eficientes para atrair potenciais clientes.

• Ao investir em links patrocinados e no impulsionamento de posts, seja criterioso. Direcione para o público-alvo do seu produto, use boas fotos e evite textos longos.

• Utilize painéis de indicadores (dashboards) para medir o que está sendo feito nas redes sociais. O segredo do sucesso é a medição. Quem não mede não controla. Use ferramentas de análise, como o Google Analytics, para acompanhar o desempenho do seu site, o tráfego orgânico, taxas de conversão e tempo de permanência. Analise esses dados regularmente e faça ajustes na sua estratégia.

Evite estes 3 erros

Na gestão de suas redes sociais, muitas empresas adotam práticas ineficazes e até mesmo prejudiciais ao sucesso das suas vendas online. Confira os erros mais comuns e como evitá-los:

• Postar por postar, sem estratégia: Isso faz com que o perfil da marca perca relevância. Para evitar esse erro, defina metas específicas, identifique seu público-alvo, escolha as plataformas adequadas e crie um plano de conteúdo.

Fazer apenas posts de vendas: Divulgar somente produtos e promoções nas redes sociais também pode levar à perda de interesse da audiência e à diminuição do engajamento. Equilibre suas postagens promocionais com conteúdo relevante e de valor, compartilhando dicas, informações úteis, histórias de clientes e outros conteúdos informativos ou inspiradores.

• Publicar o mesmo conteúdo em todas as redes: Cada rede social tem suas próprias características. Personalize seu conteúdo para cada plataforma, levando em consideração o formato, o estilo de comunicação e as preferências dos usuários em cada rede social.

5 dicas para um bom SEO

Existem algumas técnicas para ajudar os mecanismos de busca, como o Google, a indicar o conteúdo de um site ou uma loja de e-commerce aos usuários que estão pesquisando sobre um determinado assunto ou produto – o chamado SEO (Search Engine Optimization). As práticas a seguir estão entre elas:

• Faça a descrição completa de todos os produtos na loja virtual, incluindo informações técnicas e também palavras ou expressões que podem ser utilizadas pelos clientes ao pesquisar aquele tipo de produto. Mas não exagere no uso de palavras-chaves. Utilize apenas as que realmente estão relacionadas com o seu produto.

• Utilize ferramentas de pesquisa de palavras-chaves, como o Google Keyword Planner ou o SEMrush.

• Nomeie os arquivos de imagens com termos relativos ao produto mostrado. Muitas lojas utilizam nomes de arquivo genéricos, como 270.jpg, que para o Google não dizem nada. Em vez disso, dê ao arquivo o nome do produto, o material, a marca ou outra informação que pode ser usada pelo cliente na sua busca.

• Crie conteúdo de alta qualidade, relevante e exclusivo para o seu e-commerce. Inclua palavras-chaves estrategicamente em títulos, tags de cabeçalho, descrições de produtos e URLs no site.

• A velocidade do site é um fator crucial para o SEO e a experiência do usuário. Otimize o desempenho do seu site comprimindo imagens, minimizando o código, usando o cache do navegador e escolhendo um provedor de hospedagem confiável. Ferramentas como o Google PageSpeed Insights podem ajudar a identificar necessidades e oportunidades de melhoria.

2 vantagens de investir em publicidade

• Investir em publicidade nas redes sociais permite alcançar um público segmentado, aumentar a visibilidade da marca, impulsionar o tráfego para o site e aumentar as vendas. Possibilita também segmentar o público com base em critérios demográficos, interesses, comportamento online, entre outros critérios. Isso permite direcionar anúncios para as pessoas certas, aumentando a relevância e as chances de conversão.

• Uma das melhores práticas da publicidade paga nas redes sociais para e-commerce é o chamado retargeting. Essa estratégia consiste em mostrar anúncios específicos para usuários que já visitaram o seu site ou interagiram com sua marca anteriormente. O retargeting é uma maneira eficaz de relembrar os usuários sobre os produtos que eles visualizaram, aumentando as chances de conversão.

2 cuidados ao utilizar robôs e inteligência artificial

Atendimento automatizado (chatbot) e inteligência artificial são duas tecnologias que estão revolucionando o e-commerce no mundo todo. Mas sua adoção exige os seguintes cuidados:

• Chatbots: Proporcionam um grande benefício na automação de pedidos, mas não se pode esquecer que gente gosta de falar com gente. Uma dica é equilibrar o atendimento feito pelo robô e pelo humano. Funções básicas, como verificar o status de um pedido, podem ser feito pelo robô. Já a função de tirar dúvidas e receber reclamações devem ter a presença do atendente humano.

Inteligência artificial (IA): Pode aumentar muito a produtividade, mas é um erro usá-la simplesmente para substituir a análise humana. Embora seja altamente eficaz, ela não tem o mesmo poder humano de analisar os dados, criar ou alterar uma estratégia ou fazer uma boa gestão. Mas pode ser usada para gerar insights, palavras chaves, personas e outros insumos de marketing.