Itaú Blog

Exportações e logística no Brasil

Consultoria Agro

• 10 minutos de leitura

Com a consolidação das grandes produções de grãos na safra 2022/23, num ano marcado pelo atraso na comercialização e pelos desafios logísticos para o escoamento - fretes elevados e volumes recordes para a exportação, reunimos neste Radar Agro nossas principais observações da situação atual e o que é importante estar atento nos próximos meses.

  Até o momento, as exportações têm fluido bem e isso é importante para dar vazão à elevada oferta interna e evitar uma pressão ainda maior sobre os preços locais. Todavia, há ainda um volume razoável para o escoamento nos próximos meses. Notamos que, no Centro Oeste, o déficit de armazenagem é relevante, o que dificulta uma boa gestão do fluxo de comercialização e há possibilidade de ajustes adicionais nos fretes, dado que o diesel segue defasado em relação aos preços no mercado internacional.

  Considerando o histórico de exportação das principais commodities concorrentes pela logística (soja, milho, açúcar VHP e farelo de soja), é possível observar que tais produtos realizaram picos de exportação em diferentes anos. No caso do açúcar VHP, o maior volume exportado foi em 2020, a soja em 2021 e o milho e farelo de soja, em 2022.

Clique aqui para continuar lendo o conteúdo.