Itaú Blog

Volatilidades dos Mercados

Consultoria Agro

• 7 minutos de leitura

As commodities agrícolas estão atravessando um período de grande pressão nos mercados internacionais, com as cotações caindo entre 3% e 28% nas últimas semanas. O pano de fundo para isso é a preocupação generalizada em relação à uma recessão global diante do aumento expressivo da taxa de juros em vários países além do sempre presente temor atrelado à uma nova onda de Covid, o que tem feito os players reduzirem suas exposições aos mercados de maneira abrupta com maiores riscos.

Embora algumas notícias como a perspectiva de mais chuvas nos Estados Unidos nos próximos dias e a redução das compras chinesas de soja também possam ter influenciado negativamente o mercado, sob uma perspectiva de fundamentos, a nossa percepção é que não houve grandes alterações estruturais de cenários.

De fato, para a grande maioria das commodities já havia alguma expectativa de arrefecimento das cotações ancorada no aumento esperado da produção na safra 2022/23 em relação à anterior para parte relevante das commodities, com exceção de trigo e milho.

Fonte: Bloomberg e CFTC

Do lado da demanda por produtos agrícolas, acreditamos que caso entremos em um ambiente recessivo de fato, o consumo de tais produtos não passará incólume e também deverá ser afetado negativamente. No entanto, é importante não perder de vista que parte relevante dessas commodities, de maneira geral, apresenta uma elasticidade renda baixa, sugerindo que o impacto será menor quando comparado a outros produtos. Algumas commodities agrícolas não essenciais, caso do algodão, café e suco de laranja, por exemplo, podem sofrer revisões para menor nas expectativas de demanda, embora seus balanços globais de oferta e demanda não sejam confortáveis, o que mitigaria correções exageradas.

Assim, o nosso cenário base ainda aponta que os balanços globais tenderão a seguir pouco confortáveis do ponto de vista histórico, mesmo assumindo que o desenvolvimento de todas as safras ocorra bem, o que sugere que o espaço para quedas muito mais relevantes das cotações seja limitado.

Gerir riscos é importante

Apesar disso, como os movimentos recentes mostraram, é importante os players da cadeia estarem preparados para mais uma temporada de grande volatilidade das cotações.

Nesse sentido, é imperativo estarem atentos às calibragens de custos e preços e à gestão das exposições, de tal sorte que consigam minimizar os impactos em períodos em que o mercado se comportar contrariamente ao esperado o que pode colocar em risco a saúde das empresas.

Visão Agro 2022/23 está chegando

Na próxima semana publicaremos o relatório “Visão Agro 2022/23” que trará mais detalhes das nossas expectativas para os mercados das principais commodities agrícolas e seus impactos para os variados elos da cadeia. Ele estará disponível através do nosso site.