Itaú Blog

Exportações de frutas no 1º sem de 2021

Confira os principais destaques de exportações da cadeia de frutas

Consultoria Agro

• 7 minutos de leitura

Um olhar geral sobre as exportações de Frutas

Após o recorde histórico batido em 2020, totalizando mais de 1 milhão de toneladas de frutas exportadas, o setor da fruticultura também colheu bons resultados no primeiro semestre de 2021. O volume acumulado entre jan-jun de frutas exportadas somou 530 mil toneladas, alta de 28,5% em relação ao mesmo período do ano passado e com preços em USD 1,6% superiores.

Além disso, vale chamar atenção para o aumento do número de países compradores dos produtos brasileiros, o que reduz a concentração de destinos e, consequentemente, os riscos de mercados e embargos inerentes ao setor de frutas frescas.

Os preços competitivos em consequência de uma taxa média de câmbio enfraquecida alavancaram os embarques. Os destaques de ganhos de volume frente ao 1º semestre/20 foram as exportações de Maçãs (+41,2 mil ton), mangas, (+24,8 mil ton), uvas (+11,4 mil ton), melões (+6,9 mil ton) e melancias (+6,2 mil ton). Com relação aos preços em USD, as maiores variações positivas foram observadas nos cocos (+80,6%), morangos (+59,5%), ameixas (+31,8%), e por fim, as tâmaras (+20,2%) comparado com as frutas cotadas no 1º semestre de 2020.

Além do volume de vendas externas terem aumentado significativamente, a discussão que ganhou relevância foi a janela de comercialização. Sazonalmente as vendas brasileiras de frutas frescas se concentram entre o 3º e 4º trimestre devido a entressafra do hemisfério Norte. Entretanto, nos primeiros meses do ano houve um crescimento significativo em relação ao volume negociado em igual período de 2020, o que demonstra que o Brasil atender a demanda externa de frutas ao longo de todo o ano.

Fonte: Secex

Seguem abaixo um resumo da performance de exportação das principais cadeias:

Manga

As exportações de manga totalizaram nesse semestre 79,2 mil toneladas, volume 45,7% maior frente ao mesmo período do ano passado. Em relação aos preços em USD da fruta, estes apresentaram elevação de 1,8% frente ao ano anterior.

Melão

Nos primeiros 6 meses do ano as vendas externas de somaram 86,4 mil toneladas, crescimento de 17,4% sobre o 1º semestre de 2020. As cotações da fruta em USD foram 8% superiores ao praticado no mesmo período do ano passado.

Fonte: Secex

Uva

Para o setor de uvas, o primeiro semestre foi o melhor das últimas 5 safras em termos de vendas externas. O total exportado do produto nos primeiros 6 meses somou 21,7 mil toneladas, aumento de impressionantes 110% frente ao mesmo período de 2020. Já os preços foram 5,7% inferiores na mesma comparação.

Mamão

Por fim, as exportações de mamão acompanharam o ritmo de crescimento do setor de frutas nesse semestre. O volume embarcado cresceu 26,1%, somando 26,5 mil toneladas no período. Nesse fluxo de aumento de vendas, os preços também foram cotados 4,8% acima do que há um ano.

A safra caminha para ter um balanço positivo nas vendas internacionais do setor com o Brasil demonstrando ser uma origem de bons volumes e qualidade de fruta, tendo nesse 1º semestre surfado na demanda aquecida pela busca de alimentos saudáveis e frescos. E tudo indica, como esperado pelo comportamento sazonal, que também teremos um 2º semestre de boas exportações. O risco fica por conta o clima.

Fonte: Secex

Exportações de frutas e derivados no 1º semestre

Fonte: Secex

Exportações de frutas 1º semestre acumulados

Fonte: Secex