Itaú Blog

Banco Central aumenta a taxa de juros básica em 0,50% ao ano

Como esperado por nós, e pela maioria dos economistas, o Comitê de Política Monetária (Copom) anunciou a elevação da taxa Selic para 13,25% ao ano. O comunicado sugere que o Banco Central deve estender o ciclo com um ajuste de igual ou menor magnitude na próxima reunião.

Foto do Autor

Itaú Asset

• 2 minutos de leitura

Elaboração: Itaú Asset Management

Os principais destaques do comunicado, em nossa avaliação, foram a referência à extensão do ciclo “com um ajuste de igual ou menor magnitude” e que o comitê considera a decisão como a estratégia compatível com a convergência da inflação para ao redor da meta no horizonte relevante. Além disso, vale ressaltar que o BCB antecipou a divulgação da projeção para 2024.

As projeções atualizadas ressaltam os desafios com os quais o Comitê se depara. No cenário de referência, que tem entre as suas premissas a trajetória para os juros da pesquisa Focus e assume que o petróleo encerrará o atual ano em 110 dólares por barril, a autoridade monetária antevê que o IPCA encerre 2022, 2023 e 2024 em 8,8%, 4,0% e 2,7%, respectivamente – ante 7,3% e 3,4% na reunião anterior. Copom passou a divulgar a projeção de 2024 nessa reunião. Cabe ressaltar que tais números não incorporam o impacto das medidas tributárias sobre preços de combustíveis, energia elétrica e telecomunicações que estão em tramitação.

Assim como indicado em outros momentos, o balanço de riscos segue enumerando riscos altistas e baixistas. Neste aspecto a diferença fica por conta da leitura por parte do comitê de que as medidas tributárias em tramitação reduzem sensivelmente a inflação no ano corrente, embora elevem, em menor magnitude, a inflação no horizonte relevante de política monetária. Ou seja, menos inflação para 2022 e mais inflação para 2023.

Tendo em vista que o Copom sinalizou a um novo ajuste para a próxima reunião, enfatizando a perseverança na condução da política monetária e afirmando que o cenário demanda cautela, mantemos a expectativa de ao menos uma nova alta para a taxa de juros.

Como de costume, seguiremos atentos aos comentários dos diretores do Copom, tanto através de documentos como a ata da reunião – a ser divulgada na próxima terça-feira.