Itaú Blog

Boa governança corporativa significa lucro? Este ETF responde

Saiba se empresas com atuação responsável no pilar 'G' da sigla ESG podem ser rentáveis

Foto do Autor

Caique Cardoso

• 4 minutos de leitura

Fonte: Shutterstock

Escolher boas empresas faz parte do desafio do investidor que aplica seu dinheiro em Ações. Após anos de desenvolvimento do mercado e das teorias de investimento, hoje temos uma gama de métodos para ajudar o investidor neste desafio.

Há aqueles que preferem empresas com grande potencial no futuro, outros que preferem empresas tradicionais, os que buscam empresas inovadoras e há quem prefira empresas boas pagadoras de dividendos.

Grande parte dos métodos tradicionais tem uma influência da Governança Corporativa, o ‘G’ da famosa sigla ESG, implementada por cada empresa. Isso porque é possível analisar processos, isenção, transparência, políticas e outros aspectos que dizem respeito às diretrizes de gestão dessa empresa.

Com o objetivo de aproximar o investidor às empresas com boas práticas de governança corporativa, a B3 instituiu um programa de listagem voluntário com critérios objetivos para que as empresas se classifiquem em níveis de listagem diferentes com segmentos de governança. São elas: Bovespa Mais, Bovespa Mais Nível 2, Novo Mercado, Nível 2 e Nível 1.

A B3 inclusive reconhece a importância desses critérios na análise do investidor “Tais regras atraem os investidores. Ao assegurar direitos aos acionistas, bem como dispor sobre a divulgação de informações aos participantes do mercado, os regulamentos visam à mitigação do risco de assimetria informacional.”

Nesse site, é possível encontrar os critérios de forma mais detalhada. De forma geral, atributos de Governança Corporativa são indicadores que buscam proteger os acionistas minoritários, mitigando problemas da relação de controle e propriedade e aumentando a transparência e o rigor nos controles.

O programa conseguiu grande adesão das empresas, sendo a maioria no segmento Novo Mercado (203 das 265), que é o maior nível de governança corporativa segundo a metodologia da B3.

Como produto dos segmentos de listagem, o Índice de Governança Corporativa Trade (IGCT) reflete uma carteira teórica das empresas listadas nos segmentos Nível 1, Nível 2 e Novo mercado, filtrados pelo nível de liquidez e ponderado pelo valor de mercado das ações em circulação. É uma forma de representar as empresas comprometidas a ter um alto nível de governança.

Graças ao GOVE11, é possível investir nessa carteira de mais de 100 empresas de maneira fácil e rápida, já que este é um Exchange Traded Fund (ETF) que acumula mais de 10 anos de história e, desde então, permite investidores a acessar esse tema com menos de 50 reais.

Inclusive, essa metodologia tem se mostrado uma grande aliada do investidor, já que na última década, o GOVE11 superou o principal índice de ações brasileiras, o Ibovespa, por mais de 1,6% ao ano. Evidência que corrobora a tese de que boas práticas de governança ajudam o investidor a selecionar boas empresas.

Para investir no GOVE11 basta buscar por esse ticker no íon, sem pagar corretagem, ou em sua corretora de preferência.