Itaú Blog

Boletim Galaxy: como o novo cenário regulatório afeta o mercado de criptoativos

No boletim informativo deste mês, debatemos o cenário regulatório global e seus efeitos nos criptoativos como também o papel que Hong Kong tem dado para se tornar um hub cripto.

Foto do Autor

Galaxy Fund Management

• 4 minutos de leitura

Fonte: Shutterstock

Depois de um janeiro forte, em fevereiro, os criptoativos tiveram ligeira queda e assim devolveram alguns dos ganhos acumulados desde início do ano. Os mercados de cripto experimentaram uma forte queda no início de fevereiro, quando o mercado foi confrontado com um cenário regulatório cada vez mais hostil. A narrativa otimista foi temporariamente restaurada no meio do mês, quando Hong Kong deu passos importantes para se tornar um hub cripto, evidenciado por seu plano de permitir que investidores de varejo negociem tokens como BTC e ETH e a emissão bem-sucedida de seu governo de seu primeiro título verde tokenizado. Embora seja importante não confundir Hong Kong com a China continental, Hong Kong pode se tornar um substituto para os experimentos da China continental com criptomoedas e servir como uma porta de entrada para um mercado de gerenciamento de ativos de US$ 10 trilhões. Já nos últimos dias de fevereiro de 2023, os mercados de criptomoedas subiram acentuadamente com a volta de um melhor sentimento em relação a classe de ativos.

Vale um destaque em alguns pontos na frente regulatória:

  • A Kraken concordou em encerrar suas operações de staking de criptomoedas nos EUA e pagar uma multa de $ 30 milhões para liquidar as cobranças com a SEC;
  • A SEC emitiu um Wells Notice para a empresa de infraestrutura cripto Paxos afirmando que sua stablecoin Binance USD (“BUSD”) é um título não registrado. Pouco depois, o Departamento de Serviços Financeiros de Nova York ordenou que a Paxos parasse de emitir BUSD. Paxos concordou em cessar a emissão;
  • A SEC votou a favor de uma proposta que confiaria a custódia dos ativos dos clientes a custodiantes qualificados. Importante revelar que esta proposta ainda está aberta a comentários;
  • Os reguladores dos EUA fecharam o Signature Bank e a Federal Deposit Insurance Corporation (“FDIC”) transferiu os depósitos e ativos do banco para o Signature Bridge Bank, N.A., um banco de serviço completo que será operado pelo FDIC.

Do ponto de vista do investimento, enquanto o ambiente operacional para empresas de criptomoedas nos EUA está se tornando mais desafiador, a recente turbulência dos bancos regionais apóia a demanda por ativos descentralizados que tem limitada dependência do ecossistema financeiro tradicional. Isso é amplamente otimista para cripto e especificamente para bitcoin, que é resistente à má gestão de capital dos bancos centrais e de outras instituições financeiras, política monetária imprevisível e censura política dos governos - ao mesmo tempo em que fornece às instituições e indivíduos um local alternativo para armazenar riqueza. Enquanto os reguladores americanos limitaram algumas formas de acesso aos cripto ativos, mais e mais países em todo o mundo estão reconhecendo seu potencial, o que está gerando um apoio mais amplo de governos internacionais, clareza regulatória emergente e crescente adoção desta forma de investimento.

Com relação à ação regulatória da Kraken, testemunhamos um aumento na demanda por derivativos líquidos de participação (LSDs), uma tendência que esperamos persistir muito além da atualização da Ethereum em Xangai no início de abril. Os LSDs são uma inovação importante em cripto que não apenas beneficiará o Ethereum como o blockchain mais popular para DeFi, mas também deve servir para beneficiar outros blockchains de camada 1 e camada 2 com atividade robusta de desenvolvedor DeFi.

Sobre a repressão da SEC ao BUSD, acreditamos que a ação regulatória servirá como um catalisador para os investidores migrarem para stablecoins descentralizadas, onde não há entidades centrais gerenciando protocolos, mas sim pedaços de código escritos em blockchains que executam transações. A erosão contínua da confiança com players financeiros centralizados em cripto, juntamente com o potencial escrutínio regulatório que eles podem enfrentar (por exemplo, a decisão da Paxos), deve apoiar amplamente as stablecoins descentralizadas e os protocolos DeFi.

Este texto foi orginalmente publicado pela Galaxy Fund Management, em seu boletim informativo mensal. Acesse o site da Galaxy Fund Management para ler este e outros textos sobre o universo de criptoativos.