Itaú Blog

Pílula de ETFs: Ciclos de queda de juros e a Renda Fixa

Foto do Autor

Caique Cardoso

• 2 minutos de leitura

Crédito: Getty Images

Na renda fixa, os juros têm movimento inverso ao preço: quando as taxas caem, os preços dos títulos de renda fixa sobem. Hoje a Selic está com 13,75%a.a. e o mercado já precifica uma taxa de 11,5% no final do ano e abaixo de 9% até 2024. (estimativa bloomberg até 05/jul/23)

O que o passado pode nos ensinar sobre o comportamento dos principais índices de renda fixa em momentos de queda de juros? Para responder essa pergunta, usamos os dois últimos ciclos de queda de juros como referência:

Ciclo de 14,25% para 6,5% (set/16 – mar/18)

Todos os índices de mercado superaram o CDI, com destaque para a classe de prefixados (IRFM) e juro real longo (IMA-B5+) que acumularam um retorno superior ao CDI em 4,91%a.a. e 4,74%a.a. respectivamente:

Ciclo de 6,5% para 2% (jul/19 – ago/20)

Todos os índices também superaram o CDI no período, com destaque novamente para o IRFM e dessa vez para o juro real curto (IMA-B5) que acumularam retorno superior ao CDI em 5,56%a.a. e 4,59%a.a., respectivamente.

A Itaú Asset tem uma prateleira completa de ETFs de Renda Fixa, que oferece acesso a classes de juro real em vários prazos e juro prefixado. Instrumentos que além de oferecer custo competitivo também tem vantagem tributária:

Clique aqui e conheça a grade de ETFs de Renda Fixa. Para investir busque a sua Corretora