Itaú Blog

Pílula de ETFs: É possível superar o CDI no longo prazo?

Na pílula dessa semana discutimos sobre alternativas, que ao longo do tempo, mostram baixa volatilidade e consistência em superar o CDI.

Leonardo Vasques

• 5 minutos de leitura

Repetidamente, os investimentos de melhor performance nos últimos meses são os que apresentam melhor captação no curto prazo. Dado que poucas estratégias superaram o CDI no ano passado, muitos investidores passaram a focar apenas nesse indicador.

Esse comportamento leva muitos investidores a negligenciar outros investimentos de baixa volatilidade, mas de performance bastante consistente no longo prazo, como é o caso do IMA-B5.

Não à toa, o índice IMA-B5 P2, replicado pelo B5P211 supera o CDI em 74% das janelas de 12 meses desde o início de seu histórico. Além disso, em nenhuma dessas janelas o índice apresentou resultado negativo. Além de contar com as vantagens tributárias:

  • 15% de Imposto de Renda independente do prazo de investimento,
  • Não tem come-cotas,
  • Alíquota zero de IOF,
  • Recolhimento de imposto na fonte, sem DARF.

Os gráficos abaixo mostram a rentabilidade histórica do IMA-B5 P2 e em janelas de 12 meses em relação ao CDI. Não são garantia de performance futura, mas mostram claramente um padrão de baixa volatilidade e consistência.

O investimento em juro real é uma forma de preservação e multiplicação do patrimônio no longo prazo, e o B5P211 é uma excelente alternativa para esse tipo de investimento.

Rentabilidade Acumulada

Fonte: Itaú Asset Management

Rentabilidade – Rolling 12 meses

Clique aqui para conhecer mais dos ETFs Itaú Asset. Para investir, busque a sua Corretora.