Itaú Blog

A mudança recente de humor na renda fixa no Brasil

The Weekly Globe: neste artigo, busco explicar quais são as justificativas para essa mudança recente e o quão duradouro esse movimento pode ser

Humberto Vignatti, BR Fixed Income Strategist

• 2 minutos de leitura

Crédito: Getty Images

Temos observado nas últimas semanas uma rápida queda de taxas nos mercados de renda fixa no Brasil. Por exemplo, a taxa prefixada negociada para um prazo de três anos recuou desde meados de julho, de 13,5% para perto de 11,5%, enquanto o juro real esperado para 10 anos, que estava ao redor de 6,2%, agora encontra-se na faixa de 5,7%.

As variações são relevantes e chamam a atenção pela velocidade que ocorreram. No prefixado, as taxas já estão abaixo do nível médio vigente em 2022, enquanto no juro real o desempenho é mais modesto.

Mas o que explica esta mudança de humor? Mais do que isso: quão duradoura pode ser esta onda recente mais positiva? São essas as perguntas que busco responder neste artigo. Clique aqui para ler o conteúdo na íntegra.

*Os textos do relatório expressam as opiniões dos autores, não necessariamente do Comitê de Investimentos