Itaú Blog

BC revisa projeção do PIB brasileiro para 2022

No Radar do Mercado: nova estimativa consta no Relatório Trimestral de Inflação; hoje também houve a divulgação da leitura final do PIB americano para o segundo trimestre

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 3 minutos de leitura

Crédito: Getty Images

O Banco Central divulgou hoje o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) de setembro. De maneira geral, houve revisão do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro de 2022, de 1,7% para 2,7%, em linha com as projeções do Relatório Focus. Para 2023, a estimativa é de 1% de crescimento, acima da mediana do Focus (0,5%).

Segundo o documento, foram considerados para essa revisão o resultado do crescimento do segundo trimestre acima do esperado, do aumento dos benefícios sociais implementados, além do arrefecimento da inflação devido à redução de impostos.

Para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), as projeções da autoridade monetária estão em 5,8% em 2022, 4,6% em 2023, 2,8% em 2024 e em 2025. Portanto, tanto em 2024 e 2025, a expectativa é de uma inflação abaixo da meta de 3%.

PIB dos EUA retrai pelo 2º trimestre consecutivo

O PIB dos Estados Unidos apresentou uma queda de 0,6% no segundo trimestre de 2022 em termos anualizados, na comparação com o primeiro trimestre. A revisão final divulgada hoje pelo Escritório de Análise Econômica (BEA, na sigla em inglês) confirmou a segunda leitura do indicador e veio em linha com o esperado pelo mercado.

Como já houve queda de 1,6% no primeiro trimestre, o resultado aponta para a segunda contração consecutiva do PIB. Isto indica que a economia americana de fato entrou em recessão técnica. A expectativa é de normalização do crescimento no segundo semestre.

Apesar da leitura principal do segundo trimestre não ter sofrido alterações, houve revisão dos dados de consumo, que vieram levemente acima das leituras preliminares, em 2%.

O governo também revisou os dados do PIB do quarto trimestre de 2016 até o quarto trimestre de 2021, com indicação de que a recuperação da pandemia foi mais forte do que se estimava inicialmente.

O Produto Interno Bruto aumentou 5,9% em 2021, frente ao crescimento de 5,7% relatado anteriormente. Já em 2020, a economia contraiu 2,8%, uma queda menos acentuada do que a estimativa de 3,4% publicada anteriormente.

O que achou deste conteúdo?