Itaú Blog

Conversa com gestor: Rodrigo Azevedo, da Ibiuna Investimentos

Acompanhe o bate-papo com Rodrigo Azevedo, sócio-fundador da Ibiuna Investimentos, sobre o cenário macro no Brasil e no mundo

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 4 minutos de leitura

Crédito: Itaú Private Bank

Recebemos na quinta-feira, 24/06, o Rodrigo Azevedo, sócio-fundador da Ibiuna Investimentos para um bate-papo sobre o cenário macroeconômico no Brasil e no mundo. Na live, moderada por Arthur Carasso, nosso superintendente de investimentos, entendemos como a equipe da gestora está pilotando a estratégia dos fundos em um ambiente desafiador, permeado pela volatilidade e aversão ao risco.

A seguir, confira alguns dos destaques da conversa. 

Inflação domina a discussão e o norte dos investimentos na Ibiuna:

  • O alto nível da inflação atual é o resultado de decisões tomadas há cerca de um ou dois anos, o que gerou um excesso de liquidez nas economias no mundo;
  • O grande ponto de atenção nos próximos meses é a ‘arte da política monetária’, ou seja, como os bancos centrais vão dominar o excesso de liquidez sem causar um desmoronamento da atividade mundial;
  • Enfrentamos um momento de incerteza nos mercados, em que não sabemos qual será a dose necessária para trazer a inflação para a meta dos Bancos Centrais;
  • Quando será o pico da inflação? Na análise da gestora, ainda não chegamos nele. É um exercício difícil acertar este timming, mas a gestora acredita que vários atores do mercado estejam subestimando a inflação e que, provavelmente, só teremos um ponto de virada nos próximos seis a nove meses.

A estratégia de gestão dos fundos da Ibiuna:

  • Gestão com olhar atento aos ciclos econômicos, em que a geração de valor é capturada nos momentos de virada dos ciclos, acompanhando mais de 20 países para obter alfas consistente;
  • A Ibiuna segue com uma postura cautelosa, sem posição em bolsa nos fundos macro; 
  • Diante do cenário de aperto de política monetária em diversos países, a gestora segue com posições tomadas em juros com mais foco nas economias desenvolvidas (EUA, Alemanha e Europa como um todo).

Assista, abaixo, a live na íntegra: