Itaú Blog

Copom mantém o tom; inflação vem acima do esperado

Ata do Copom não trouxe mudança de tom em relação ao comunicado da semana passada; já o IPCA veio acima das expectativas do mercado

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 4 minutos de leitura

Crédito: Getty Images/Itaú Private Bank

Enquanto o Copom divulgou sua ata e manteve o tom do último comunicado divulgado, a indicação de dois novos diretores para o Banco Central movimentou o mercado nesta semana.

Na frente de dados, o IPCA desacelerou em abril, mas veio acima do esperado. Já nos EUA, o indicador de inflação veio em linha com as expectativas.

Confira mais detalhes dos destaques da semana:

IPCA desacelera em abril, mas vem acima do esperado

O IPCA de abril subiu 0,61%, puxado pela alta nos medicamentos e alimentos. Houve desaceleração em relação a março e no acumulado em 12 meses (para 4,18%). A leitura veio um pouco acima da expectativa e com um qualitativo ligeiramente pior, com núcleos e índice de difusão mais elevados. Ainda assim, indica uma desinflação gradual. Projetamos o IPCA de 2023 em 6,0%, mas vemos viés de baixa, e em 4,5% para 2024, incorporando alguma desancoragem nas expectativas de inflação.

Leia na íntegra.

Ata do Copom: tom inalterado

A ata da última reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) não trouxe mudança no tom em relação ao comunicado da semana passada. Houve discussão sobre uma possível elevação da taxa de juro neutra, mas a autoridade julgou que precisa de tempo para avaliar. O documento também sugere uma perspectiva um pouco melhor para a inflação. Ainda esperamos o começo de um ciclo de corte gradual de juros na reunião de outubro-novembro, levando a Selic a 12,5% até o final do ano.

Leia na íntegra.

Governo indica novos diretores para o BC

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, indicou dois novos diretores para as cadeiras vagas no Copom. Gabriel Galípolo, atual secretário-executivo do Ministério da Fazenda, foi indicado para o cargo de diretor de Política Monetária. Já Ailton Aquino, servidor da autarquia, foi indicado para o cargo de diretor de Fiscalização. Antes de assumirem seus cargos, ambos precisarão passar por sabatina no Senado Federal.

Leia na íntegra.

Produção industrial fica estável no primeiro trimestre

A produção industrial subiu 1,1% no mês, considerando o ajuste sazonal, em linha com o esperado. Na comparação anual, o avanço foi de 0,9%, um pouco acima das expectativas. Com os dados, houve estabilidade no primeiro trimestre. Após duas quedas consecutivas, o setor se recuperou em março, mas esperamos que as condições monetárias mais apertadas e a desaceleração da demanda doméstica reduzam a produção nos próximos meses.

Leia na íntegra.

Inflação nos EUA sobe em linha com o esperado em abril

O Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos EUA acelerou em abril e subiu 0,4%. Na comparação anual, a alta foi de 4,9%, desacelerando em relação a março. O núcleo do indicador, que exclui os itens mais voláteis, manteve o ritmo do mês anterior, mas cedeu na base anual. A leitura veio em linha com o esperado e não deve alterar as expectativas para os próximos passos do Federal Reserve, com manutenção da abordagem dependente da evolução dos dados.

Leia na íntegra.

BC britânico eleva juros novamente em 25 pontos-base

O Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) elevou sua taxa de juros em 25 pontos-base, para 4,50%, em linha com as expectativas e mantendo o ritmo anterior. O documento apontou que a inflação segue alta, mas que autoridades esperam uma queda mais acentuada a partir de abril, voltando para a meta até o final de 2024. Porém, destacou que há incertezas e que, se houver uma pressão inflacionária persistente, novas altas nos juros poderão ser feitas.

Leia na íntegra.

Inflação chinesa desacelera além do esperado

O CPI da China desacelerou de 0,7% para 0,1% em abril, na comparação anual, além do esperado, influenciado pela queda nos preços de alimentação. O núcleo do indicador, que exclui itens mais voláteis, manteve o ritmo anterior. Também houve a divulgação do Índice de Preços ao Produtor (PPI, na sigla em inglês), que seguiu em patamar negativo, mas acentuando a queda.