Itaú Blog

Fed pausa ciclo de elevação nas taxas de juros

No Radar do Mercado: na reunião de hoje, o banco central americano decidiu manter o nível de juros, mas surpreendeu ao indicar que mais altas podem ocorrer até o final do ano

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 2 minutos de leitura

Créditos: Getty Images

O Comitê Federal de Mercado Aberto do Federal Reserve (FOMC, na sigla em inglês) manteve a taxa de juros americana no intervalo de 5% a 5,25% ao ano, após 15 meses de altas. A decisão de pausa no ciclo de aperto monetário foi unânime e veio em linha com as expectativas. No entanto, houve uma surpresa na indicação de que os juros podem subir mais até o final do ano. Houve também revisão para melhor nas projeções de PIB e desemprego.

No comunicado, o Fed ressaltou que manter os juros permitirá que as autoridades avaliem informações adicionais e suas implicações na política monetária. Além disso, reforçou que irá levar em consideração o efeito cumulativo do aperto monetário para determinar as ações apropriadas para trazer a inflação de volta para a meta de 2%.

Fed revisa projeções econômicas

Quanto à divulgação das projeções atualizadas para os principais indicadores econômicos, a grande surpresa foi a elevação da expectativa das autoridades para os juros em 2023, de 5,1% para 5,6%. A taxa terminal mais alta do que o esperado pelo mercado significa que o comitê acredita que novos aumentos ainda podem ser necessários para trazer a inflação de volta para a meta. Para 2024 e 2025, a tendência de queda foi mantida, ainda que de um nível mais elevado. Para o longo prazo, o Fed segue projetando juros próximos a 2,5%. Frente à atividade resiliente, as autoridades também elevaram suas expectativas para o crescimento do PIB e do núcleo da inflação em 2023, além de projetarem uma deterioração mais gradual da taxa de desemprego.

Powell destaca pouco progresso no núcleo da inflação

Na coletiva após a reunião, o presidente do Fed, Jerome Powell, afirmou que praticamente todos os participantes concordam que provavelmente mais altas serão necessárias até o fim do ano, mas que, considerando o quão longe já chegaram e a rapidez do processo de aperto monetário, era apropriado manter as taxas na decisão de hoje. Para explicar a pausa acompanhada da elevação da projeção para os juros, Powell buscou separar as discussões de nível e ritmo. Na visão do banqueiro, ainda que exista a expectativa de que novas altas sejam promovidas e, portanto, o nível terminal seja mais alto, o estágio do ciclo de aperto permite um ritmo mais parcimonioso, oferecendo às autoridade maior intervalo para avaliação. Como as autoridades não têm visto o progresso necessário no núcleo da inflação, Powell reforçou que ainda há um longo caminho a ser percorrido. Por outro lado, destacou que o aumento nas projeções não significa que as autoridades já decidiram que novas altas serão necessárias, com os próximos passos ainda sujeitos à evolução dos dados nos próximos meses.

💬 O que achou deste conteúdo?