Itaú Blog

Focus: projeções de inflação e juros mais altas para 2023

No Radar do Mercado: houve alta nas expectativas de inflação para 2022 e 2023, além de uma mudança na projeção para a Selic; na China, o banco central manteve suas taxas de juros

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 3 minutos de leitura

Crédito: Getty Images/Itaú Private Bank

O Banco Central divulgou hoje mais uma edição do Relatório Focus. De maneira geral, as expectativas de inflação subiram para 2022 (a quarta alta consecutiva) e 2023. Também houve uma alteração na projeção da taxa Selic para 2023.

Na comparação com a semana anterior, o IPCA avançou para 2022 (de 5,82% para 5,88%), acima do teto da meta de inflação deste ano (de 5%). Vale lembrar que a meta central é de 3,50%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Para 2023, a projeção subiu de 4,94% para 5,01%, também acima da meta para o ano (de 3,25%). Para 2024, houve estabilidade em 3,50%, pouco acima do centro da meta de 3%. 

Em relação à atividade econômica, a mediana para o Produto Interno Bruto (PIB) de 2022 subiu de 2,77% para 2,80%. Para 2023, seguiu em 0,70%. Para 2024, porém, houve uma piora, de 1,80% para 1,70%.

Na política monetária, as medianas das estimativas para a taxa Selic continuaram inalteradas para 2022 (13,75%) e 2024 (8,00%). Para 2023, porém, houve uma alta, de 11,25% para 11,50%.

Após um longo período de estabilidade nas projeções do câmbio, houve alta de 5 centavos para 2022 (para R$/US$ 5,25), 4 centavos para 2023 (para R$/US$ 5,24) e 5 centavos para 2024 (para R$/US$ 5,20).

Banco central da China mantém taxas de juros

O banco central da China (PBoC, na sigla em inglês) manteve novamente sem alterações suas taxas de juros de referência para empréstimos de curto e longo prazos.

Dessa forma, a Loan Prime Rate (LPR) com vencimento de um ano segue em 3,65% ao ano. Já a LPR de cinco anos, referência para hipotecas, permanece em 4,30% ao ano.

A decisão já era esperada pelo mercado, uma vez que o PBoC havia mantido recentemente as taxas de juros da linha de crédito de médio prazo (MLF).

O que achou deste conteúdo?