Itaú Blog

IPCA recua mais do que o esperado em julho

No radar do mercado: o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de julho registrou uma queda de 0,68%

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 2 minutos de leitura

Deflação foi puxada por preços administrados, com quedas expressivas na energia elétrica e gasolina (Crédito: Getty Images)

O IBGE divulgou hoje o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de julho, que registrou uma queda de 0,68%, resultado abaixo das expectativas do mercado (-0,65%). No ano, o IPCA acumula alta de 4,77%. Na base anual, houve um recuo para 10,07%, ante 11,89% de junho.

A deflação do mês veio puxada por preços administrados, com quedas expressivas na energia elétrica e gasolina, ambas relacionadas às reduções de impostos sobre os combustíveis e energia. Esse movimento se refletiu em dois dos nove grupos de produtos e serviços, que apresentaram queda no mês.

O principal impacto negativo veio do grupo de Transportes, que registrou a queda mais intensa, seguido pelo recuo de Habitação. Em contrapartida, Alimentação e bebidas acelerou em relação a junho, movimento puxado pela alta na alimentação no domicílio.

Quanto às medidas de núcleo, os industriais subjacentes desaceleraram frente aos meses anteriores e vieram abaixo do esperado, enquanto os serviços subjacentes ainda seguem pressionados.

O IPCA-EX3 (que reúne componentes mais sensíveis ao ciclo econômico) cresceu 0,63% no mês e 10,7% em 12 meses (ante 10,6% do mês anterior). Já o índice de difusão recuou para 62,8% no mês, desacelerando frente aos 66,6% de junho, mas ainda em patamares elevados.