Itaú Blog

IPCA sobe 0,71% em março, abaixo das expectativas

No Radar do Mercado: IPCA registrou um aumento de 0,71% em março; já a inflação chinesa atingiu o menor nível desde setembro de 2021

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 3 minutos de leitura

Crédito: Getty Images

O IBGE divulgou o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) de março, que subiu 0,71% no mês, pressionado pela alta dos combustíveis. Os dados vieram abaixo da expectativa do mercado (0,77%) e dos 0,84% registrados em fevereiro. O acumulado em 12 meses desacelerou para 4,65%, vindo de 5,60% no período anterior.

Oito dos nove grupos de produtos e serviços tiveram alta em março. A exceção foi o grupo de Artigos de residência. O grupo de Transportes foi o que teve o maior impacto no resultado, com destaque para a gasolina, que subiu 8,33% com o retorno parcial da cobrança de impostos federais sobre alguns combustíveis no início do mês. Em seguida, vieram os grupos de Saúde e cuidados pessoais e Habitação, mas que apresentaram desaceleração em relação ao mês anterior.

O núcleo subjacente para serviços e bens industriais (IPCA-EX3) desacelerou no mês. O índice de difusão, que mede o percentual de itens com aumento dos preços, também teve uma queda, passando de 65,25% em fevereiro para 59,95%, indicando que a inflação está menos disseminada na margem.

A leitura segue indicando desinflação gradual. Seguimos com a nossa projeção de inflação para 2023 em 6,1% e de 4,5% para 2024.

Inflação chinesa atinge menor nível desde setembro de 2021

De acordo com os dados divulgados pelo Departamento Nacional de Estatísticas da China, o Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) desacelerou, de 1% para 0,7% em março, na comparação anual. O resultado veio abaixo das expectativas do mercado.

A queda foi impulsionada principalmente pelos preços mais baixos de alimentos e combustíveis. No entanto, o núcleo do CPI (que exclui alimentação e energia) acelerou de 0,6% para 0,7% na base anual. Esse resultado foi impulsionado principalmente pelos preços mais altos de serviços, enquanto o componente de bens desacelerou.

Além disso, o Índice de Preços ao Produtor (PPI) na China caiu 2,5% em março em relação ao ano anterior, devido principalmente à queda dos preços das commodities.

As leituras de preços indicam que, apesar da reabertura ter provocado uma retomada acelerada da atividade econômica no primeiro trimestre, o processo não tem sido inflacionário.

💬 O que achou deste conteúdo?