Itaú Blog

IPCA-15 desacelera na comparação mensal em abril

No Radar do Mercado: indicador registrou uma alta de 0,57% no mês; desaceleração também pode ser observada no acumulado em 12 meses

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 2 minutos de leitura

Crédito: Getty Images

O IBGE divulgou o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que teve uma alta de 0,57% em abril, desacelerando na comparação com março (0,69%) e ligeiramente abaixo das expectativas do mercado (0,60%). Nos últimos 12 meses, o IPCA-15 acumulou alta de 4,16%, abaixo dos 5,36% observados nos 12 meses imediatamente anteriores.

Todos os nove grupos de produtos e serviços pesquisados tiveram alta no mês. A maior variação e o maior impacto vieram de Transportes, movimento puxado pela alta nos preços da gasolina. Na sequência, vieram Saúde e cuidados pessoais, com a forte contribuição dos produtos farmacêuticos, após a autorização de reajuste nos medicamentos. Já o grupo de Alimentação e bebidas desacelerou devido à variação negativa da alimentação no domicílio.

O IPCA-EX3, núcleo que reúne componentes da inflação mais sensíveis ao ciclo econômico, desacelerou na comparação com a última leitura. Já o índice de difusão, que mede o percentual de itens com aumento dos preços, subiu na comparação mensal e se encontra em 63,22%, o que significa que a inflação está mais disseminada na margem.

Em suma, o resultado corrobora o cenário de desinflação em curso, embora as medidas de núcleo sigam rodando acima do compatível com o cumprimento da meta de inflação. Ainda devemos observar um recuo da inflação acumulada em 12 meses para ao redor de 4,0% nos próximos meses, influenciado pelo efeito base dos cortes de impostos no ano passado. No entanto, a inflação deve voltar a acelerar nessa base de comparação a partir do terceiro trimestre do ano. Projetamos 6,1% para o IPCA em 2023 e 4,5% em 2024.

💬 O que achou deste conteúdo?