Itaú Blog

IPCA-15 gera viés de alta para inflação do ano

Índice de inflação veio acima do esperado pelo mercado; já nos EUA, núcleo do PCE veio em linha com as projeções

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 4 minutos de leitura

Crédito: Getty Images/Itaú Private Bank

O IPCA-15 de janeiro foi um dos destaques na agenda dos investidores nessa semana. Além de vir acima do esperado, o resultado colocou viés de alta na projeção para a inflação de 2023.

Nos EUA, a surpresa positiva ficou com o PIB. Já o núcleo do PCE, uma das referências para o Federal Reserve em suas decisões de política monetária, veio em linha com o esperado.

Agora, as atenções se voltam para as decisões de política monetária em ambos os países, que acontecem na próxima semana. Confira, abaixo, mais detalhes dos fatores que impactaram os mercados nos últimos dias.

Focus: sobem expectativas de inflação para 2023 e 2024

O Relatório Focus apontou uma alta nas expectativas do mercado para a inflação. A mediana para o IPCA de 2023 subiu para 5,48%, sendo que a meta central é de 3,25%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Para 2024, a projeção passou para 3,84%, também acima do centro da meta de 3%. Já a projeção para o PIB para 2023 teve um leve aumento, para 0,79%.

IPCA-15 sobe 0,55% em janeiro, acima do esperado

O IPCA-15 variou 0,55% em janeiro, acima das expectativas (0,51%). Em 12 meses, o índice acumula alta de 5,87%. A leitura trouxe viés de alta para o IPCA fechado de janeiro (com uma surpresa na parte de serviços) e para o IPCA do ano (devido ao impacto acima do esperado de emplacamento e licença). Outro viés de alta para projeção do ano é o reajuste do preço da gasolina na refinaria anunciado pela Petrobras.

PIB americano surpreende positivamente

O Produto Interno Bruto (PIB) do quarto trimestre de 2022 avançou 2,9% em termos anualizados, na comparação com o terceiro trimestre (quando havia crescido 3,2%). O resultado veio acima da expectativa, mas a composição indicou adicional fraqueza da economia. O arrefecimento de consumo e investimentos sinaliza que a atividade segue em tendência de gradual desaceleração.

Núcleo do PCE vem em linha com as expectativas

O núcleo do Índice de Preços das Despesas de Consumo Pessoal (PCE, na sigla em inglês) dos EUA, que exclui as pressões de energia e alimentos, subiu 0,3% em dezembro, ligeiramente acima do resultado anterior (0,2%). Na comparação anual, houve uma desaceleração, de 4,7% para 4,4%. A leitura veio em linha com as projeções e aponta uma desaceleração gradual das pressões, ainda que a inflação esteja bem acima da meta de 2%.

Indicador de atividade acelera na zona do euro

O índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro, que inclui os setores industrial e de serviços, acelerou em janeiro para 50,2, acima das expectativas, e voltou para patamar expansionista. A leitura sinaliza que a atividade no primeiro trimestre de 2023 deve ser melhor do que o esperado anteriormente e confirma que o nível mais baixo dos indicadores de confiança na Europa se deu no final de 2022.