Itaú Blog

Market update: leia os destaques da live

Confira os principais pontos abordados na live que teve a participação de Gina Baccelli e Niraj Patel, com a moderação de Marcelo Aagesen

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 4 minutos de leitura

Crédito: Itaú Private Bank

Na última quarta-feira, 19, tivemos a primeira live internacional “Market Update”, que acontecerá mensalmente para abordar os assuntos mais importantes nos mercados globais e no cenário econômico mundial. Participaram do bate-papo Gina Baccelli, nossa economista-chefe, além de Niraj Patel, Chief Equities Strategy, e Marcelo Aagesen, Global Markets and Strategy, ambos do Itaú Private Bank International.

A seguir, leia alguns destaques da conversa:

Alta volatilidade nos mercados internacionais

  • Os mercados internacionais estiveram voláteis, especialmente no Reino Unido, onde aconteceram alguns movimentos importantes após o anúncio do pacote fiscal da então primeira-ministra, Liz Truss, que incluía grandes cortes de impostos;
  • O anúncio causou uma volatilidade expressiva no mercado de renda fixa e uma desvalorização da libra no Reino Unido, algo que se espalhou por outros mercados e pode explicar até mesmo parte da volatilidade da renda variável;
  • O risco financeiro voltou ao radar dos investidores. Após o então ministro das finanças britânico, Kwasi Kwarteng, anunciar planos de elevar a emissão de títulos para aumentar a captação de recursos e compensar os cortes de impostos, os fundos de pensão foram forçados a vender ou liquidar algumas de suas participações, o que causou ainda mais volatilidade;
  • O Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) teve de intervir para tentar ajudar com a liquidez, evitar a criação de uma instabilidade generalizada no sistema financeiro e acalmar os mercados. Posteriormente, o governo voltou atrás em parte do plano com a repercussão negativa, e Liz Truss renunciou ao cargo;

A situação na Europa

  • A Europa é o mercado de maior preocupação para os investidores, pois é a região mais afetada pela guerra na Ucrânia, que tem sofrido uma escalada;
  • O cenário é de muita incerteza e as perspectivas são de estagflação em 2023;
  • A Rússia tem destruído a infraestrutura da Ucrânia e há risco de sabotagem em outros países da região. Vladimir Putin quer aumentar o custo da guerra para Europa e EUA.

Cenário americano

  • Outro desenvolvimento importante para os mercados é a inflação americana. O Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) continua apontando uma pressão inflacionária no país. O mercado de trabalho também permanece apertado;
  • O dólar deve seguir forte, algo que incomoda fora dos EUA, mas que é um impacto dos fundamentos melhores na economia americana. Por ser produtor de energia e alimentos, houve um fortalecimento do balanço de pagamentos;
  • Estamos na temporada de divulgação de balanços do terceiro trimestre das empresas americanas. Os bancos foram os primeiros, com resultados dentro do esperado, sem indicar algum sinal de fraqueza no crédito ou de recessão;
  • As expectativas para os resultados diminuíram e agora a previsão é de aumento dos lucros de 2,4%. O mercado está atento ao resultado das empresas de tech, mas principalmente às perspectivas das companhias para 2023.

Nesta semana, divulgaremos o relatório mensal de Decisões do Comitê, indicando como esse cenário impacta a nossa alocação estratégica de investimentos.