Itaú Blog

Market update: perspectivas e tendências do mercado imobiliário dos EUA

Confira os principais pontos discutidos na edição mensal da live do Itaú Private Bank, no qual falamos sobre o panorama do mercado imobiliário americano

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 3 minutos de leitura

Créditos: Itaú Private Bank

Na última terça-feira, dia 20, realizamos nossa live mensal "Market Update" sobre os mercados globais, com a participação de Marcelo Aagesen, Head de Mercados Globais, Niraj Patel, Estrategista-Chefe de Ações, e Roberto Martins, Head of International Solutions da Itaú Asset Management.

O mercado imobiliário nos Estados Unidos é um dos mais importantes e influentes da economia do país. Compreende diferentes segmentos, como o residencial, comercial e hoteleiro, e desempenha um papel fundamental no crescimento econômico. Nosso encontro foi direcionado ao mercado imobiliário residencial, que abrange casas unifamiliares, condomínios e apartamentos multifamiliares.

A demanda por imóveis residenciais nos Estados Unidos é impulsionada principalmente pela formação de novos domicílios, que geralmente ocorre quando pessoas saem da casa dos pais, casam-se ou se divorciam. Essa dinâmica baseada na demografia resulta em uma demanda contínua por imóveis residenciais.

Após um período de crescimento constante nas décadas de 1960 a 1980, houve uma desaceleração na formação de domicílios. No entanto, a partir de 2013, essa tendência foi revertida, e a formação de domicílios voltou a acelerar. Atualmente, o mercado imobiliário residencial nos EUA apresenta uma situação muito saudável, embora algumas regiões possam ter experimentado uma redução nos preços dos imóveis.

Após a crise de 2008, houve um excesso de estoque de imóveis, mas essa situação está se normalizando gradualmente, ainda que, em algumas regiões, a oferta de imóveis ainda esteja abaixo da demanda, o que tem levado a preços mais elevados, como a Flórida e o Texas, por exemplo.

Apesar dos desafios, a construção de novos imóveis nos EUA continua em alta. Construtores têm adotado estratégias para atrair compradores, como oferecer taxas de financiamento mais favoráveis nos primeiros anos. Essas medidas têm contribuído para o aumento da construção de novas residências e o suprimento de imóveis no mercado.

Também abordamos, no nosso encontro, uma pesquisa que mostra que o investidor qualificado no Brasil investe apenas 0,5% neste tipo de ativo, enquanto no restante do mundo este percentual é de 25%. Na gravação completa, você pode acompanhar a discussão sobre a melhor forma de investir em imóveis nos EUA, entender mais sobre os Real Estate Investment Trusts (REITs), que são os fundos imobiliários americanos e os motivos pelos quais acreditamos que a melhor forma de investir nestes ativos seja por meio do Private Real Estate.

Entre os principais pontos abordados na live, podemos enumerar:

  • A formação de novos domicílios impulsiona a demanda por imóveis residenciais.
  • Após uma desaceleração, a formação de domicílios nos EUA voltou a acelerar a partir de 2013.
  • O mercado imobiliário residencial está saudável, com algumas regiões experimentando redução nos preços dos imóveis.
  • A oferta de imóveis ainda está abaixo da demanda em muitas regiões, resultando em preços mais altos.
  • Taxas de juros afetam o mercado imobiliário, mas a demanda ainda é essencialmente impulsionada por fatores demográficos.
  • A construção de novos imóveis nos EUA continua em alta, com estratégias dos construtores para atrair compradores.

Assista a gravação completa abaixo: