Itaú Blog

Must Reads

TenisVesting: conheça alguns livros que podem te ajudar a tomar melhores decisões nas quadras e nos investimentos

Foto do Autor

Andrea Masagão Moufarrege, Team Leader - Investment Funds Specialists

• 4 minutos de leitura

Crédito: iStock/Getty Images

Em leituras super agradáveis, esses dois livros acima impactaram mais meu entendimento sobre finanças e meu jogo de tênis do que anos de estudo e de treinos em quadra. Ambos trazem uma perspectiva diferente sobre como pensar para ter mais sucesso nos dois campos. Ambos relatam em detalhes e com histórias como o lado mental funciona e ensinam a ativar as alavancas certas para tomar melhores decisões. Ambos trazem ensinamentos aplicáveis em vários aspectos da vida.

Meu objetivo com esse texto é aumentar a sua curiosidade e te estimular a ler efetivamente os autores na íntegra. Tenho certeza de que serão leituras mais transformadoras para você do que qualquer texto que eu possa escrever.

Jogo Interior de Tênis

O “Jogo Interior de Tênis” foi escrito em 1974 por W. Timothy Gallwey, ex-treinador do time de tênis universitário de Harvard, e se tornou um clássico no campo da psicologia esportiva. Gallwey argumenta que muitos jogadores sofrem não por falta de habilidade, mas por causa de sua mente. Ele introduz os conceitos do Eu1, que representa a mente consciente que normalmente julga cada ação e trabalha de forma crítica, e o Eu2 que representa o inconsciente, que é intuitivo e capaz de executar ações complexas sem esforço. O autor argumenta que a chave para destravar o potencial em qualquer jogador é silenciar o Eu1 dando espaço para o Eu2 trabalhar. Com foco no momento, os jogadores podem usar suas habilidades naturais e atingir suas melhores performances.

O meu Eu1, por exemplo, é forte e não acho nada fácil inibir minha autocrítica durante um jogo. O livro me ensinou alguns truques e dar outros trabalhos para o Eu1 ficar ocupado e parar de sabotar meu Eu2, que fica mais livre para me fazer jogar melhor. Meu preferido é ir além da máxima de olhar na bola e procurar as costuras da bola, entender como elas se organizam no entorno da bolinha. Enquanto o Eu1 fica preocupado em entender o padrão do movimento das costuras da bola em movimento, o Eu 2 solta o braço. Adoro também a ideia de sacar me preocupando apenas com o alvo e deixando o saque sacar sozinho.

Gallwey define que:

Performance = Potencial – Interferências

Aprender a confiar no Eu2 e jogar de forma menos crítica, mas com muito foco, reduz as interferências do Eu1 e ajuda muito não apenas a ganhar mais jogos, mas também a ser muito mais feliz em quadra.

Em novembro de 2022, o Bill Gates incluiu esse livro no seu blog GatesNotes como o melhor livro de tênis que já leu e um ótimo guia para não atrapalhar a si mesmo. Conta que usou os ensinamentos de Gallwey diversas vezes na gestão da Microsoft adotando sempre uma postura construtiva em suas críticas a programadores quando, por exemplo, “bugs” eram encontrados. O jogo exterior de tênis mudou muito de 1974 até hoje, mas a potência do jogo interior continua imbatível.

The Psychology of Money

Morgan Housel foi colunista de finanças do jornal “The Wall Street Journal” e lançou em 2020 o livro “The Psychology of Money”, que já foi traduzido para mais de 53 línguas, vendeu mais de 53 milhões de cópias e teve mais que o dobro disso em downloads na versão em áudio.

O livro trata da complexa relação entre psicologia e finanças e traz vários insights sobre como desenvolver hábitos mais saudáveis e atitudes melhores em relação ao dinheiro. Reforça a importância de como narrativas e histórias influenciam o entendimento, contando várias ao longo do livro. Uma das minhas preferidas é sobre quando ele trabalhou como manobrista em um hotel de luxo enquanto estudava economia na Faculdade do Sul da Califórnia. Foi dirigindo carros como Porshes, Lamborghinis e Maseratis que ele percebeu que a grande maioria das pessoas não se importa com os donos dos carros, mas imaginam como se sentiriam bem se os carros fossem delas. Assim, concluiu que quem tinha carros só para impressionar perdia tempo e dinheiro, pois o foco de atenção das outras pessoas é sempre nelas mesmas. Alguns anos depois, usou esse aprendizado para escrever uma carta para seu filho recém-nascido recomendando com muito carinho que se dedicasse para ser bem-sucedido na vida, mas que buscasse impressionar sempre pelo respeito conquistado, e não pelas suas posses.

Alguns dos takeaways do livro:

  • Dinheiro é apenas um meio para atingir seus objetivos e só tem valor se usado para conquistar seus desejos e viver uma vida satisfatória.
  • Comportamento é mais importante que conhecimento em finanças pessoais. Desenvolver hábitos como poupar, investir bem e evitar riscos desnecessários é crucial para viver bem com finanças equilibradas no longo prazo.
  • Entender viéses pessoais, como excesso de confiança, aversão a risco e mentalidade de manada ajuda muito a tomar melhores decisões e evitar armadilhas financeiras.
  • O poder de pensar no longo prazo e ter paciência faz a mágica do tempo construir acumulação de riqueza.
  • Sucesso financeiro também é fruto de sorte.
  • A independência financeira produz liberdade e reduz o stress, mas para mantê-la é essencial adaptar-se sempre aos novos cenários e incertezas.
  • Para manter sempre ativo seu compartilhamento de pensamentos sobre riqueza, ambição e felicidade, Housel tem também o The Morgan Housel Podcast, que traz pílulas desses conceitos sempre recheados de histórias super divertidas.

MUST READs

📈 The Psychology of Money, Morgan Housel

🎾 The Inner Game of Tennis, W. Timothy Gallwey

💬 O que achou deste conteúdo?

Deixe seu comentário aqui e ajude a construir um TenisVesting cada vez melhor!