Itaú Blog

No radar do mercado: banco central da China mantém taxas de juros

Em linha com as expectativas do mercado, o PBoC manteve suas taxas de juros de referência para empréstimos de curto e longo prazos inalteradas

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 2 minutos de leitura

Crédito: Getty Images

O banco central da China (PBoC, na sigla em inglês) decidiu manter suas taxas de juros de referência para empréstimos de curto e longo prazos inalteradas.

Com isso, a chamada Loan Prime Rate (LPR) com vencimento de um ano permanece em 3,7% ao ano, enquanto a LPR de cinco anos, referência para hipotecas, está em 4,45% ao ano.

Apesar de estar na contramão da maioria dos bancos centrais, que apertam suas políticas monetárias para combater a inflação, a decisão veio em linha com as estimativas do mercado.

A expectativa do governo é que a economia se recupere gradualmente, à medida que o país combate a onda de Covid-19 e afrouxa medidas de restrições.

O PBoC tem direcionado seus estímulos para pequenas e médias empresas e para o setor imobiliário, como medidas que visam reduzir os custos de financiamento e abatimento de créditos fiscais, mas sempre indicando cautela com qualquer tipo de estímulo monetário que possa gerar fortes pressões inflacionárias à frente.

Mercados (atualizado às 12h)

Após negociar toda a manhã no território negativo, o Ibovespa virou para o positivo com a recuperação das ações de Petrobras. As ações da Vale são o destaque negativo com a desvalorização do minério de ferro no mercado global.

O dólar opera em alta, sendo negociado a 5,15 frente ao real. Na renda fixa, as taxas de juros futuros operam ao redor da estabilidade. Além disso, o dia é de liquidez reduzida nos mercados devido ao feriado nos Estados Unidos.