Itaú Blog

No radar do mercado: inflação da Alemanha medida pelo CPI sobe 7,9%

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da Alemanha subiu 7,9% na comparação anual. A leitura é a mais alta registrada no país desde 1973

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 3 minutos de leitura

Crédito: Getty Images

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da Alemanha teve uma alta mensal de 0,9% em maio, segundo dados preliminares divulgados pela agência de estatísticas do país, a Destatis. O resultado veio acima das expectativas (0,5%).

Na comparação anual, a alta foi de 7,9%, acelerando ante o resultado de abril, de 7,4%, e também acima das expectativas do mercado (7,6%). A leitura é a mais alta registrada na Alemanha desde 1973, pressionada principalmente pelos preços de energia, que subiram 38,3% na comparação anual, devido aos impactos da guerra na Ucrânia.

IGP-M desacelera para 0,52% em maio

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgou hoje o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) de maio, que subiu 0,52% no mês, desacelerando ante o resultado de abril (1,41%) e ligeiramente acima do esperado pelo mercado (0,50%). Em 12 meses, houve um recuo, de 14,66% para 10,72%.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) agrícola subiu de -1,36% para 0,16%, enquanto o IPA industrial passou de 2,62% para 0,57%  no mês. Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,35% no mês (10,09% a/a), com a desaceleração puxada pelo grupo de habitação. Por fim, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) avançou em 1,49% (11,20% a/a).

Mercados (atualizado às 12h)

O Ibovespa opera em queda na manhã de hoje, em um dia de baixa liquidez nas bolsas globais com o feriado nos Estados Unidos. Os investidores ainda repercutem as movimentações na Petrobras, e as ações da companhia operam em queda, puxando o índice para baixo.

Na renda fixa, os juros futuros operam em alta ao longo da curva após o IGP-M desacelerar, mas vir levemente acima do esperado pelo mercado. O dólar opera em baixa, sendo negociado a 4,72 frente ao real.