Itaú Blog

No radar do mercado: IPCA-15 avança 0,69%, em linha com o esperado

O IPCA-15 teve uma alta mensal de 0,69% em junho, acelerando frente ao registrado em maio, mas em linha com as expectativas

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 4 minutos de leitura

Crédito: Getty Images

O IBGE divulgou o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que teve uma alta mensal de 0,69% em junho, acelerando frente ao registrado em maio (0,59%), mas em linha com as expectativas (0,68%). Na comparação anual, houve queda para 12,04%, ante 12,20% no mês anterior.

Todos os grupos de produtos e serviços tiveram alta em junho. O maior impacto veio dos Transportes, impulsionados pelos preços de passagens aéreas. Vale destacar também o grupo de saúde e cuidados pessoais, puxado pela alta promovida nos planos de saúde. Habitação, que havia recuado em maio, voltou a subir, com a elevação de preços de água e esgoto.

O IPCA-EX3 (núcleo que reúne componentes da inflação mais sensíveis ao ciclo econômico) avançou 0,89% m/m e acumula alta de 10,5% em 12 meses (de 10,2% do mês anterior). Já o índice de difusão, que mede o percentual de itens com aumento dos preços, atingiu 68,9% no mês, abaixo dos 74,9% de maio, recuando na margem, mas ainda em patamar elevado, o que sugere uma inflação generalizada.  

Para o IPCA de junho é esperada alta de 0,76%. O reajuste de preços de combustíveis anunciado pela Petrobras já deve começar a mostrar efeito nessa leitura. Já o impacto esperado para o mês de julho deve ser compensado pela zeragem de PIS/Cofins sobre gasolina e etanol.  A aprovação de medidas relativas ao ICMS possui implementação mais incerta, o que deve trazer maior incerteza para as projeções de inflação de curto prazo.