No radar do mercado: Rússia entra em default pela primeira vez desde 1918

A Rússia deixou de pagar duas dívidas em moeda estrangeira pela primeira vez desde 1918, em meio às sanções impostas pelos países ocidentais como resposta à invasão da Ucrânia

Por Itaú Private Bank

3 minutos de leitura
Crédito: Getty Images

A Rússia deixou de pagar duas dívidas em moeda estrangeira pela primeira vez desde 1918, após não conseguir honrar com suas pendências em meio às sanções impostas pelos países ocidentais como resposta à invasão da Ucrânia.

De acordo com os detentores dos títulos, o prazo de pagamento foi encerrado no domingo, após um período de carência de 30 dias para que o governo encontrasse maneiras de honrar os cerca de US$ 100 milhões em pagamentos de juros devidos.

Como a Rússia foi desligada do sistema de pagamentos global, o Swift, e as reservas estrangeiras do banco central permanecem congeladas, o default já era esperado, uma vez que esses processos criam obstáculos para pagamentos em moedas estrangeiras. Porém, o default não deve trazer consequências imediatas para a economia russa, que já enfrenta a pior retração de sua atividade em anos, além de uma inflação na casa dos dois dígitos.

Apesar de as sanções já pesarem sobre a Rússia, a guerra continua sem prazo para terminar, pressionando os líderes ocidentais por novas medidas. Em cúpula na Alemanha, os líderes do G7 prometeram intensificar seus compromissos de segurança com a Ucrânia e impor novas sanções à importação de tecnologias para as forças armadas russas, além de medidas direcionadas aos responsáveis por crimes de guerra.