Itaú Blog

Pesquisa Focus: pequenas mudanças

No Radar do Mercado: o relatório divulgado pelo Banco Central semanalmente trouxe poucas mudanças; nos Estados Unidos, Congresso adiou a possibilidade de um shutdown

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 3 minutos de leitura

Créditos: Getty Images

O Banco Central divulgou hoje mais uma edição semanal do Relatório Focus. De maneira geral, as projeções para as variáveis macroeconômicas permaneceram virtualmente estáveis ao longo de todo o horizonte pesquisado. 

Em comparação à semana anterior, a mediana das estimativas de inflação para 2023 ficou em 4,86%. Para 2024, houve uma ligeira alta (para 3,87%). Já para 2025 e 2026, as projeções permaneceram em 3,50%. Vale lembrar que a meta definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) é de 3% para os próximos anos, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para baixo ou para cima.   

Com relação à atividade econômica, as estimativas para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) também não mudaram para 2023 (2,92%), 2024 (1,50%), 2025 (1,90%) e 2026 2,00%).   

No que se refere à política monetária, as expectativas para a taxa Selic não sofreram alterações para todo o horizonte, mantendo-se em 2023 (11,75%), 2024 (9,00%), 2025 (8,50%) e 2026 (8,50%).   

Por fim, as expectativas em relação à taxa de câmbio seguiram estáveis para 2023 (a R$/US$ 4,95) e 2025 (a R$/US$ 5,10). Houve uma leve alta para 2024 (para R$/US$ 5,02) e 2026 (para R$/US$ 5,20). 

Congresso dos EUA aprova projeto que evita shutdown provisoriamente

O Congresso dos Estados Unidos aprovou um projeto de lei que evita um shutdown (paralisação dos serviços públicos) no país por meio de um orçamento provisório. Vale lembrar que a Casa vota anualmente sobre o financiamento dos serviços, e o prazo para decidir sobre 2024 terminaria no último sábado, 30 de setembro, data que marca o fim do ano-fiscal americano. A decisão foi de financiar o governo por mais 45 dias, até 17 de novembro. Apesar de ter sido postergado, o shutdown segue como risco, já que Democratas e Republicados continuam discordando sobre os níveis de gastos. 

💬 O que achou deste conteúdo?