PIB americano cresce 1,1% no primeiro trimestre de 2023

No Radar do Mercado: a divulgação veio abaixo do esperado e mostrou uma desaceleração em relação ao trimestre anterior; no Brasil, o volume de serviços cresceu acima das expectativas em fevereiro

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 3 minutos de leitura

Crédito: Getty Images

O Escritório de Análise Econômica (BEA, na sigla em inglês) dos Estados Unidos divulgou a primeira estimativa do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre de 2023. No período, o indicador avançou 1,1% na comparação trimestral em termos anualizados.

A divulgação veio abaixo das projeções do mercado, que esperava um crescimento mais forte, de 1,9%. Além disso, houve uma desaceleração em relação ao trimestre imediatamente anterior (2,6%).

Ainda que seja a primeira leitura, feita com base em dados incompletos e os números ainda estejam sujeitos à revisão, o resultado aponta uma expansão da economia americana pelo terceiro trimestre consecutivo, mas em ritmo de desaceleração.

O crescimento no trimestre reflete o aumento nos gastos do consumidor, do governo, de investimento não residencial e ligeira contribuição positiva de exportações líquidas. Os dados foram parcialmente compensados por reduções em estoques e no investimento residencial.

De maneira geral, a divulgação aponta para uma desaceleração gradual da economia americana, com investimentos mostrando fraqueza e um consumo resiliente. A análise dos dados mensais e divulgados em março aponta para um crescimento mais fraco no segundo trimestre.

Setor de serviços cresce acima do esperado em fevereiro

O volume de serviços no Brasil cresceu 1,1% em fevereiro frente a janeiro, segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, acima das expectativas do mercado (0,5%). Na comparação anual, o setor avançou 5,4%, também acima do esperado (5,1%).

A expansão no mês foi acompanhada por três das cinco atividades pesquisadas, com destaque para o setor de transportes e outros serviços, que recuperou parte da perda verificada no mês anterior.

No sentido oposto, os grupos de serviços profissionais, administrativos e complementares e serviços prestados às famílias exerceram as influências negativas do mês.

De maneira geral, a receita real do setor de serviços tem mostrado forte volatilidade recentemente. Apesar disso, esperamos uma desaceleração gradual do setor nos próximos meses em meio aos impactos defasados da política monetária contracionista. Nossotracking(estimativa de alta frequência) para o PIB do 1T23 permaneceu em 1,2% tri/tri (3,1% a/a).



💬 O que achou deste conteúdo?