PIB do Brasil cresce 1,9% no primeiro trimestre, acima das expectativas

No Radar do Mercado: o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil avançou 1,9% no primeiro trimestre de 2023 frente ao trimestre anterior, puxado pelo setor agropecuário; na zona do euro, a inflação segue desacelerando

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 2 minutos de leitura

Créditos: Getty Images

De acordo com dados divulgados hoje pelo escritório de estatísticas da União Europeia (Eurostat), o índice de inflação ao consumidor (CPI) da zona do euro cedeu de 7,0% em abril para 6,1% em maio, na comparação anual. A queda mais acentuada do que as expectativas (6,3%) é explicada pela menor pressão dos componentes de alimentação e energia.

O núcleo do índice, que exclui os componentes mais voláteis, como energia e alimentação, também cedeu além das expectativas, recuando de 5,6% para 5,3%. Ao analisar a composição do núcleo, tanto o componente de bens quanto o de serviços perderam vigor, arrefecendo para 5,8% e 5,0%, respectivamente. Vale destacar, no entanto, que o impacto baixista do subsídio para transporte na Alemanha será temporário e parcialmente revertido em junho, dado o efeito base de sua adoção também em 2022.

Em linhas gerais, apesar da surpresa positiva na leitura de hoje, o núcleo da inflação europeia segue pressionado e ainda não oferece sinais claros de uma queda sustentada, reforçando a expectativa de que o Banco Central Europeu (BCE) promova duas altas adicionais nos juros, encerrando o ciclo em 3,75%.

💬 O que achou deste conteúdo?