Itaú Blog

The Weekly Globe: Mais um passo na retirada de estímulos

O Federal Reserve iniciou um processo de normalização da política monetária, ou seja, de retirada dos expressivos estímulos implementados nos últimos anos, agindo em duas frentes: alta de taxa de juros e redução do balanço patrimonial

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 3 minutos de leitura

Crédito: Reprodução/Itaú Private Bank

O que aconteceu na última semana

As decisões dos bancos centrais ficaram no centro das atenções dos investidores. Nos Estados Unidos, a taxa de juros do país subiu 50 pontos-base, para um intervalo de 0,75% a 1,00% ao ano, e o Fed decidiu iniciar a redução de seu balanço patrimonial, em linha com as diretrizes divulgadas em janeiro. Por aqui, a Selic subiu 100 pontos-base para 12,75% ao ano. Já o Banco da Inglaterra elevou os juros em 25 pontos-base, para 1%.

A aversão ao risco marcou a semana nas principais bolsas do mundo. O S&P recuou 0,2%, as bolsas emergentes caíram 4,2%, as europeias variaram -4,4%, e o Ibovespa teve queda de 2,5%. Na renda fixa, a Treasury americana de 10 anos subiu 19 pontos-base. Já o DXY valorizou 0,7%.

Acesse o relatório completo

Recapitulando os resultados do 1º trimestre

Niraj Patel, Chief Equity Strategist

A temporada de divulgação dos lucros das empresas no primeiro trimestre de 2022 deve ser concluída nas próximas semanas, já que cerca de 90% das companhias listadas no S&P 500 já publicaram seus resultados. Por isso, pensamos que seria útil recapitular o que foi reportado e qual foi o desempenho do preço das ações.

Esta foi uma das temporadas de balanços mais difíceis, em que até as empresas que superaram as estimativas viram reações negativas no preço de suas ações. Uma das principais razões foram as projeções de lucro para os resultados do segundo trimestre mais fracas do que o previsto. Além disso, o setor de tecnologia de grande capitalização dos EUA teve uma temporada de resultados voláteis.

Acesso o relatório completo

Mais um passo na retirada de estímulos

Gina Baccelli, Chief Economist & Victor Corrêa, Senior economist

Após cerca de dois anos desde o início da pandemia, a economia dos Estados Unidos já supera o nível de produto esperado antes do choque, enquanto vem enfrentando a maior inflação em 40 anos. Nesse contexto, o Fed iniciou um processo de normalização da política monetária, ou seja, de retirada dos expressivos estímulos implementados nos últimos anos, agindo em duas frentes: alta de taxa de juros e redução do balanço patrimonial.

Também é preciso pensar nos efeitos disso sobre a economia. Muitos estudos mostram que, em casos como o atual, de inflação elevada e baixo desemprego, existe uma probabilidade não desprezível de recessão, se houver a clara intenção da autoridade monetária em controlar a inflação rapidamente.

Acesso o relatório completo