Itaú Blog

Vídeo: destaques do comitê de investimentos em abril

Nicholas McCarthy, nosso Chief Investment Officer (CIO), resume nossa análise de cenário e mudanças nas alocações

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 2 minutos de leitura

Crédito: Itaú Private Bank

Divulgamos para os clientes na última sexta-feira, 28, uma atualização das perspectivas e estratégias do nosso comitê de investimentos, que se reúne mensalmente para decidir as alocações táticas das carteiras-modelo, baseadas nos cenários macroeconômico internacional e brasileiro. Entenda, a seguir, os destaques de abril.

Internacional

  • Ao longo das últimas semanas, observamos uma moderação nos temores quanto a uma possível crise de crédito, mas os eventos financeiros levaram a uma reprecificação nas curvas de juros, especialmente nos Estados Unidos.
  • A expectativa é que a inflação recue gradualmente nos EUA até o final do ano, reforçando nossa visão de que o Federal Reserve (Fed, banco central americano) está próximo do fim do ciclo de alta dos juros.
  • No entanto, se a inflação continuar a se mostrar persistente, as taxas deverão ficar em patamar mais elevado por mais tempo.
  • Seguimos assistindo a uma retomada econômica robusta na China, acompanhada de sinais crescentes de um dólar americano em trajetória de desvalorização;
  • Na Europa, a crise de energia parece já superada. A atividade econômica tem se mostrado mais resiliente e o núcleo da inflação permanece elevado, o que deve fazer com que o Banco Central Europeu continue a subir os juros no curto prazo.

Local

  • Um ambiente externo mais favorável começa a se desenhar para mercados emergentes, mas incertezas no cenário local permanecem.
  • Os sinais de desaceleração da atividade econômica devem ficar mais claros a partir do segundo trimestre do ano. O primeiro trimestre ainda terá um crescimento econômico robusto, especialmente por conta da forte produção agrícola.
  • A inflação ao consumidor tem mostrado maior pressão no curto prazo. Contudo, esperamos desinflação gradual de preços livres à frente, ao passo que devemos ter maior pressão vinda de preços administrados neste ano.
  • O Banco Central tem mantido a postura cautelosa, reforçando que a política monetária deve ser paciente e serena, especialmente em ambiente de deterioração das expectativas de inflação.

Confira no vídeo abaixo um resumo feito pelo nosso CIO, Nicholas McCarthy: