Itaú Blog

Volume de serviços cresce acima do esperado em agosto

No Radar do Mercado: volume de serviços brasileiro teve uma alta mensal de 0,7% em agosto; nos EUA, vendas no varejo ficaram estáveis

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 4 minutos de leitura

Crédito: Getty Images

O volume de serviços do Brasil teve uma alta mensal de 0,7% em agosto, segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) divulgada nesta sexta-feira pelo IBGE. O resultado veio bem acima das expectativas do mercado (0,2%).

Na comparação anual, o setor teve alta de 8%, também acima das projeções (7%), assinalando a 18ª taxa positiva consecutiva do indicador. Com o resultado divulgado hoje, os serviços estão 10,1% acima do nível pré-pandemia, de fevereiro de 2020.

Em agosto, a variação no setor de serviços foi majoritariamente positiva. Três das cinco atividades investigadas registraram crescimento no mês: outros serviços, informação e comunicação e serviços prestados às famílias. Em sentido oposto, transportes exerceram a única influência negativa. Já os serviços profissionais, administrativos e complementares ficaram estáveis.

Em nossa visão, a leitura forte de agosto indica resiliência do setor, que deve seguir contribuindo positivamente para a economia no 3T22.

Vendas no varejo dos EUA ficam estáveis em setembro

As vendas no varejo dos EUA se mantiveram estáveis em setembro, desacelerando na comparação com a leitura de agosto, que foi revisada para cima, para 0,4%. Com sete das 13 categorias de varejo retraindo no mês, o resultado veio abaixo das expectativas do mercado (0,2%).

Porém, de maneira geral, houve revisões para cima dos números de agosto, e as leituras dos núcleos de setembro surpreenderam positivamente, reforçando que a desaceleração da economia americana tem se dado de forma gradual.


O grupo de controle, que tem maior relação com o componente de consumo do PIB americano, acelerou de 0,2% (número revisado para cima) para 0,4%, acima das expectativas de 0,3%. Ao excluir automóveis, as vendas no setor também tiveram crescimento na comparação mensal. Já ao excluir automóveis e gás, também houve alta das vendas, acima do esperado pelo mercado.

O que achou deste conteúdo?