BC britânico: juros inalterados em decisão dividida

No Radar do Mercado: Banco da Inglaterra mantém juros inalterados, mas reconhece evolução no recuo da inflação; na China, a balança comercial se recupera após leitura fraca de março

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 2 minutos de leitura

Banco da Inglaterra mantém juros inalterados

O Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) decidiu manter sua taxa de juros em 5,25%, em linha com o esperado. A decisão, porém, não foi unânime, com dois votos a favor de um corte de 25 pontos-base e sete votos para manutenção do juro. Comparado com a reunião anterior, o comitê teve um voto a mais em favor de uma redução.

No cenário local, o comitê avaliou que o mercado de trabalho está afrouxando, apesar de seguir relativamente apertado. Já a inflação continua recuando, embora riscos geopolíticos ainda persistam. As autoridades esperam que a inflação fique abaixo da meta de 2% no segundo trimestre de 2024, influenciada pelo efeito base, mas volte a subir no terceiro e quarto trimestre. Já com relação ao crescimento econômico, a expectativa é que o PIB continue crescendo no próximo semestre.

Nessa reunião, o BoE também atualizou suas projeções macroeconômicas. Para a inflação, a autoridade manteve estável a projeção estável para o 2º tri de 2024, em 2%. Para o mesmo trimestre de 2025 e 2026, as estimativas foram revistas para baixo, para 2,6% e 1,9%, respectivamente. Já na frente da atividade econômica, a projeção de crescimento foi revisada para cima em todo o período.

No que diz respeito aos próximos passos, o comitê manteve o discurso de que é preciso manter a política restritiva pelo tempo que for necessário. Além disso, reforçou que irá considerar os dados futuros para avaliar por quanto tempo os juros deverão ser mantidos em seu nível atual.

Balança comercial da China mostra recuperação

As exportações chinesas registraram significativa alta, de -7,5% para 1,5% a/a em abril, acima da expectativa do mercado. O mesmo ocorreu para as importações, que avançaram para 8,4% a/a, frente ao resultado anterior de -1,9%. Em suma, a balança comercial retorna a um bom patamar após a leitura fraca de março, totalizando US$ 72,4 bilhões em abril, em linha com o cenário de apoio à atividade industrial.

💬 O que achou deste conteúdo?

Leia também

Leia também

Nossa recomendação de investimentos de abril

Nicholas McCarthy, Chief Investment Officer (CIO) do Itaú, resume a análise do cenári [...]

Sete assuntos importantes debatidos no encontro do FMI

Neste artigo, trazemos mais detalhes dos principais assuntos em pauta no encontro do [...]

Mercado de IPO aquece no setor de tecnologia

Avanços em IA e saúde, sucesso da Nvidia, desafios da Alphabet e da Apple, e mercado [...]