Itaú Blog

Crise no Mar Vermelho: inflação à vista?

No Radar do Mercado: ataques na região do mar vermelho têm aumentado o risco de uma escalada na região, que poderia afetar o processo de desinflação global

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 3 minutos de leitura

Canal de Suez: devido aos ataques na região, companhias têm desviado rotas de suas embarcações (Crédito da foto: iStock / Getty Images Plus)

Crise no Mar Vermelho: inflação à vista?

Os conflitos geopolíticos no Oriente Médio têm reacendido as preocupações inflacionárias. Após uma série de ataques no Mar Vermelho, companhias começaram a desviar as rotas de suas embarcações do Canal de Suez. Por serem mais longas, as viagens não só demoram mais (entre uma e duas semanas), como implicam em aumentos nos custos de fretes.

Além disso, os ataques e contra-ataques ao grupo rebelde Houthi, no Iêmen, e os mísseis iranianos lançados contra Síria e Iraque, têm elevado o risco de escalada na região, segundo as consultorias que acompanhamos.

Como os acontecimentos pressionarão a inflação ainda é algo incerto. Os aumentos nos custos de frete podem refletir nos preços de bens importados com alguma defasagem, ainda que uma parte dessa pressão possa se traduzir em margens de lucro mais baixas, em vez de preços mais elevados. Além disso, caso um cenário de escalada se concretize, é possível que os mercados de energia enfrentem pressões ascendentes sobre os preços, afetando um componente que teve significativa participação no processo de queda da inflação global visto no último ano.

IBC-Br fica praticamente estável em novembro

O Banco Central divulgou o Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) de novembro, que subiu 0,01% na comparação mensal, ficando praticamente estável e interrompendo uma sequência de quedas do indicador. A leitura veio acima da expectativa de mercado, que era de uma retração (-0,2%). Na comparação anual, a alta foi de 2,19%, também surpreendendo o mercado.

Nossa visão: os dados divulgados até o momento sugerem alguma desaceleração da atividade econômica no 4T23. O nosso tracking (estimativa de alta frequência) para o PIB do quarto trimestre segue em -0,2% tri/tri (+1,8% a/a).

Três perguntas e respostas sobre o Fórum Econômico Mundial

Diretamente de Davos (na Suíça), o economista-chefe do Itaú Unibanco, Mário Mesquita, comentou em um episódio do podcast do Itaú Views sobre os principais temas abordados durante o Fórum Econômico Mundial.

Além da conjuntura macroeconômica, ele destacou as discussões relacionadas aos impactos da Inteligência Artificial no crescimento e em empregos, e os debates sobre meio ambiente (mais especificamente sobre a necessidade de financiamento da transição energética). Ouça, abaixo, o podcast.

💬 O que achou deste conteúdo?

No Radar do Mercado é um boletim diário que traz de forma simples e resumida os destaques no cenário macroeconômico local e internacional.

Quer deixar um comentário? Clique aqui!

Leia também

Leia também

Ata do BCE: sem sinalização para cortes nos juros

No Radar do Mercado: ata da última reunião de política monetária do Banco Central Eur [...]

Transição econômica da China: de tijolos a microchips | Private Insights

Neste artigo, analisamos os recentes movimentos do governo, quais as dificuldades a s [...]

10 temas globais e 10 locais para 2024

Economia e Mercados: a consultoria Eurasia divulgou seu relatório com os maiores risc [...]