Itaú Blog

Pronampe: Como utilizar o crédito liberado para micros e pequenas empresas

Conheça 5 maneiras eficientes de aproveitar essa linha de crédito no seu negócio

Foto do Autor

Itaú Empresas

• 6 minutos de leitura

Mulher sorrindo enquanto faz uma anotação em cima de um balcão

Lançado em maio de 2020, o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, conhecido como Pronampe, é uma linha de crédito para apoiar negócios. O programa surgiu como medida para que empreendedores enfrentassem a crise da pandemia. 

No final de julho de 2022, o Pronampe anunciou a liberação de R$ 50 bilhões em crédito. Na nova fase, o empréstimo máximo passou para R$ 150 mil, limitado a 30% da receita bruta anual de 2021. No caso de empresas com menos de um ano, 30% da média de faturamento mensal. Já a taxa de juros máxima é a Selic mais 6%. 

Assim como qualquer outra linha de crédito, é importante que o empreendedor avalie seus objetivos e capacidade de pagamento antes de acessar o Pronampe. 

Cinco formas de usar o empréstimo Pronampe

1. Pagamento de dívidas 

O pagamento de dívidas em aberto está entre as principais finalidades de utilização do Pronampe. “Situações de inadimplência dificultam a organização financeira do negócio e podem bloquear contratos e pedidos de financiamento. Nesse caso, deve-se analisar se os juros do Pronampe são inferiores às taxas da dívida existente”, afirma Cibele Pestillo, consultora de negócios e finanças especializada em micro e pequenas empresas. 

2. Folha de pagamento 

Além do risco de processos trabalhistas, atrasos na folha de pagamento impactam a vida dos funcionários, refletindo na produtividade e na qualidade dos serviços oferecidos pela empresa. “O engajamento de colaboradores é fundamental para atravessar períodos de crise. Não basta apenas obter a linha de crédito: é necessário garantir que esse dinheiro seja fielmente aplicado no objetivo principal”, diz Cibele. 

3. Acordos com fornecedores 

Pronampe tem como finalidade principal apoiar empreendedores em dificuldades de fluxo de caixa. A partir dessa premissa, o recomendado é focar a aplicação dos recursos nas áreas que possam gerar restrições ou reduções da atividade principal do negócio. É o caso dos pagamentos de fornecedores que não oferecem prazos de extensão ou margens de renegociação. 

4. Manutenção de custos fixos 

Assim como qualquer outra linha de crédito, é importante que o empreendedor avalie seus objetivos e capacidade de pagamento antes de acessar o Pronampe. aumentos sobre o caixa — ao mesmo tempo, em que se traça outras estratégias para impulsionar a receita de vendas e melhorar a margem de lucro da operação. 

5. Ajuste de ciclo de pagamentos 

A diferença dos ciclos de faturamento e geração de receitas — concebida por pagamentos parcelados e vendas “a fiado” — é um dos principais desafios de caixa para pequenas e médias empresas. O Pronampe pode ser acessado para organizar fluxos comprometidos por esse descompasso. Assim como no pagamento de dívidas, deve-se avaliar o impacto das taxas de juros sobre as entradas futuras. "O empreendedor precisa estar com as finanças organizadas para avaliar os prós e contras dos recursos disponibilizados" diz Cibele. 

Quem tem direito ao Pronampe

Sua empresa deve estar atenta aos seguintes critérios de elegibilidade: 

  1. Ter faturamento de até R$ 4,8 milhões/ano; 

  2. Autorizar a consulta dos dados de faturamento pela instituição financeira (conheça o passo a passo da autorização); 

  3. Não possuir dívidas fiscais e tributárias nas esferas federal, estadual e municipal. 

Aproveite e confira o passo a passo para emitir a Certidão. 

O Pronampe 2024 já está disponível pelo Itaú Empresas. Para mais detalhes sobre como solicitar acesse nossa página https://meu.itau/_pronampe

Vale a indicação: Já pensou em ter uma conta empresarial completa e com diversas soluções para ajudar na gestão da sua empresa? Confira os benefícios da conta PJ do Itaú Empresas.