Itaú Blog

Payroll: criação de vagas acelera nos EUA em dezembro

No Radar do Mercado: Payroll indicou a criação de 216 mil vagas de trabalho nos EUA em dezembro; na Zona do Euro, a inflação acelerou, mas veio em linha com o esperado

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 4 minutos de leitura

Payroll: criação de vagas acelera nos EUA

O Payroll, relatório de folha de pagamentos do Departamento do Trabalho dos EUA, indicou a criação de 216 mil vagas em dezembro. O resultado veio acima das projeções do mercado (175 mil) e mostrou uma aceleração com relação ao resultado do mês anterior (revisado hoje para baixo, para 173 mil). 

A taxa de desemprego seguiu em 3,7%, enquanto a expectativa do mercado era de uma alta, para 3,8%. Já a taxa de participação teve uma queda, para 62,5%, acima do esperado (62,8%, mesmo número de novembro). 

Os ganhos salariais por hora trabalhada subiram 0,4%, para 34,27 dólares, acima do esperado (0,3%). Nos últimos 12 meses, houve alta de 4,1%, acima do registrado no mês anterior e do esperado.  

Nossa visão: a leitura veio mais forte do que as expectativas, tanto na criação de vagas quanto no crescimento dos salários. Apesar do mercado de trabalho ainda forte, as expectativas para o primeiro corte pelo Fed devem seguir dependentes da trajetória da inflação, com as atenções se voltando para a divulgação da leitura de dezembro, no dia 11 deste mês. 

Inflação avança 2,9% em dezembro na Zona do Euro

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) da Zona do Euro foi de 2,9% em dezembro, na comparação anual, acelerando em relação a novembro (2,4%). O resultado veio em linha com as expectativas do mercado.  

O núcleo da inflação, que exclui itens voláteis como alimentos e energia, recuou para 3,4%, dando sequência ao processo gradual de desinflação. O movimento foi puxado novamente pelo alívio nos preços de bens, enquanto serviços seguiram estáveis.  

Nossa visão: a alta do indicador já era esperada devido a efeito base na Alemanha. O nível elevado dos preços de serviços é a principal incerteza com relação à dinâmica de inflação à frente. Ainda assim, a fraqueza do núcleo na margem, associada à atividade econômica fragilizada, deixa a porta aberta para o Banco Central Europeu (BCE) iniciar o ciclo de cortes dos juros no primeiro semestre do ano. 

Produção industrial avança acima do esperado

A Pesquisa Industrial Mensal (PIM) de novembro, divulgada pelo IBGE, apontou um avanço mensal de 0,5% na produção nacional, acima do esperado pelo mercado (0,3%). Frente a novembro de 2022, a alta foi de 1,3%.  

Duas das quatro grandes categorias econômicas expandiram no mês: bens intermediários e bens de consumo semi e não duráveis. Entre as atividades industriais pesquisadas, 13 das 25 subiram. As influências positivas mais importantes foram assinaladas por indústrias extrativas e produtos alimentícios.  

Nossa visão: o avanço da produção industrial foi impulsionado pelo setor extrativista. Adiante, continuamos esperando que a produção industrial oscile perto da estabilidade. Nosso tracking (estimativa de alta frequência) para o PIB do 4T23 permaneceu em -0,2% tri/tri (+1,75% a/a), após a divulgação de hoje. 

💬 O que achou deste conteúdo?

No Radar do Mercado é um boletim diário que traz de forma simples e resumida os destaques no cenário macroeconômico local e internacional.

Quer deixar um comentário? Clique aqui!

Sinais divergentes na economia chinesa | Private Insights

No Radar do Mercado: assim como o PMI de manufatura, a sondagem de serviços da China [...]

Ata do Fed: juros no pico ou perto dele

No Radar do Mercado: o Fed divulgou a ata de sua última reunião de política monetária [...]

Relatório Focus: pequenas mudanças

No Radar do Mercado: a primeira edição do relatório Focus do ano trouxe pequenas muda [...]