Itaú Blog

PIB americano volta a crescer, Copom mantém a Selic

Economia e mercados: após dois trimestres de queda, economia americana voltou a expandir no terceiro trimestre; no Brasil, autoridades mantiveram a Selic inalterada

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 4 minutos de leitura

Crédito: Itaú Private Bank

A semana foi movimentada para os investidores. No cenário local, o Comitê de Política Monetária (Copom) manteve novamente a taxa Selic em 13,75%. Já o IPCA-15 voltou a registrar alta e veio acima das expectativas do mercado.

Nos EUA, o PIB voltou a subir. Por sua vez, o núcleo do Índice de Preços das Despesas de Consumo Pessoal (PCE, na sigla em inglês), uma das referências para o Federal Reserve em suas decisões de política monetária, apontou uma inflação persistente no país.

Confira, abaixo, os fatores que impactaram os mercados nos últimos dias.

Copom mantém novamente a taxa Selic

Conforme esperado, o Copom manteve a Selic em 13,75% ao ano. O comitê apresentou sinais de cautela, destacando o ambiente externo adverso e volátil. No cenário local, apontou a inflação ainda elevada, mas reconheceu o ritmo mais moderado da economia. Nossa expectativa é que o Copom mantenha os juros no nível atual até meados de 2023.

Leia o texto completo.

IPCA-15 vem acima do esperado em outubro

O IPCA-15 teve uma alta mensal de 0,16%, acelerando frente ao registrado em setembro e acima das expectativas do mercado. Em 12 meses, houve desaceleração de 8,0% para 6,9%. Apesar da surpresa, o dado mostrou composição mais benigna de núcleos e é consistente com nossa leitura de desinflação gradual nos próximos meses.

Leia o texto completo.

Banco Central Europeu eleva taxas de juros

O Banco Central Europeu (BCE) elevou suas três principais taxas de juros em 75 pontos-base, conforme esperado. O conselho espera aumentar ainda mais as taxas, mas, após a terceira alta consecutiva, julga ter feito progresso substancial na retirada do estímulo monetário.

Leia o texto completo.

PIB dos EUA sobe após dois trimestres de queda

Após dois trimestres de queda, o PIB dos EUA apresentou uma alta de 2,6% no terceiro trimestre de 2022 em termos anualizados, na comparação com o segundo trimestre. A leitura reforça que a desaceleração da economia é apenas gradual, afasta a narrativa de recessão iminente e não deve mudar a avaliação do Fed para a reunião da próxima semana.

Leia o texto completo.

Núcleo do PCE americano sobe em setembro

O núcleo do PCE, que exclui os itens mais voláteis, subiu 0,5% setembro, mantendo o ritmo do mês anterior. Na base anual, houve uma aceleração para 5,1%. Já o indicador “cheio” do PCE também avançou nas bases mensal e anual, mas manteve o ritmo de agosto. A leitura segue apontando uma resiliência dos consumidores e uma inflação persistente, bem acima da meta de 2%.

Leia o texto completo.

Xi Jinping assume terceiro mandato na China

Xi Jinping foi reeleito para seu terceiro mandato, assumindo os cargos de presidente e secretário-geral do Partido Comunista. A composição do comitê executivo do partido também está mais inclinada à vertente de Xi, o que aumenta o risco político no país, já que Xi poderia avançar em sua agenda de maior regulamentação e estatização da economia.

Leia o texto completo.

PIB da China avança e surpreende

O PIB chinês do terceiro trimestre foi divulgado e surpreendeu positivamente, ao avançar 3,9% na comparação anual, acelerando em relação aos 0,4% do trimestre anterior. A leitura mais forte mostrou a normalização da atividade depois dos lockdowns do segundo trimestre, com crescimento puxado pelo setor manufatureiro e de serviços.

Leia o texto completo.

Rishi Sunak é eleito primeiro-ministro do Reino Unido

O ex-ministro das Finanças, Rishi Sunak, foi eleito primeiro-ministro do Reino Unido. Aos 42 anos, ele se tornou o premiê mais novo em 200 anos. Agora, Sunak enfrentará o desafio de alcançar a estabilidade econômica, além de reconstruir a reputação fiscal do Reino Unido e de seu próprio partido.

Leia o texto completo.