Itaú Blog

PIB dos EUA cresce no 3º tri, enquanto inflação acelera em setembro

Economia e Mercados: o PIB dos EUA surpreendeu e cresceu 4,9% no 3º trimestre; o núcleo do PCE, uma das referências de inflação para o Fed, acelerou em setembro

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 4 minutos de leitura

Crédito: Getty Images/Itaú Private Bank

O destaque da semana para os investidores foi o PIB do terceiro trimestre dos EUA, que superou as expectativas do mercado. Na mesma direção, a leitura do PCE de setembro mostrou alta no gasto dos consumidores acima do esperado, reforçando a resiliência da atividade americana.

Por aqui, o IPCA-15 reforçou o cenário de desinflação gradual à frente. Agora, as atenções se voltam para a Super Quarta, na semana que vem, quando serão divulgadas as decisões de política monetária dos Bancos Centrais do Brasil e dos EUA.

A seguir, confira mais detalhes.

Brasil: IPCA-15 sobe 0,21% em outubro

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) de outubro subiu 0,21% no mês, abaixo da leitura de setembro (0,35%) e em linha com as expectativas do mercado (0,20%). O acumulado em 12 meses atingiu 5,05%. As medidas de núcleo seguem em desaceleração gradual. O índice de difusão, que mede o percentual de itens com aumento dos preços, apresentou alta na margem, mas segue em trajetória favorável, indicando inflação menos disseminada ao longo dos últimos meses. Seguimos com a nossa projeção para o IPCA de 2023 em 4,9%.

Clique aqui para ler na íntegra.

PIB americano cresce 4,9% no terceiro trimestre de 2023

A primeira estimativa do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre de 2023 apontou um avanço de 4,9% na comparação trimestral, em termos anualizados, acima das projeções do mercado (4,5%). Além disso, houve aceleração em relação ao crescimento no trimestre imediatamente anterior (2,1%). O resultado refletiu, principalmente, a alta nos gastos dos consumidores, tanto em serviços quanto em bens. Ainda que seja a primeira leitura, a divulgação confirma as expectativas de um PIB forte no terceiro trimestre, ainda sem sinais de desaceleração econômica.

Clique aqui para ler na íntegra.

Inflação dos EUA medida pelo núcleo do PCE acelera em setembro

O núcleo do Índice de Preços das Despesas de Consumo Pessoal (PCE, na sigla em inglês) dos EUA avançou 0,3% m/m em setembro, acelerando em relação a agosto (0,1%), e 3,7% a/a, conforme o esperado. O indicador “cheio” (que inclui energia e alimentos) ficou em 0,4% m/m e 3,4% a/a, mantendo o ritmo anterior. O gasto nominal dos consumidores e o gasto real (ajustado pela inflação) aceleraram no mês, surpreendendo para cima. Em geral, a leitura reforça a resiliência da atividade americana, em meio a uma desinflação gradual que deve continuar à frente.

Clique aqui para ler na íntegra.

Dados de atividade empresarial na zona do euro recuam em outubro

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro caiu em outubro para 46,5 pontos. Houve retração no desempenho do setor de serviços, enquanto o manufatureiro segue sem mostrar recuperação, ambos abaixo das expectativas. Na análise por país, houve queda no índice composto da Alemanha e França. Em geral, o PMI da região segue abaixo de 50, apontando para retração da economia à frente. É o quinto mês consecutivo de queda e o mais acentuado desde novembro de 2020.

Clique aqui para ler na íntegra.

Banco Central Europeu (BCE) mantém juros inalterados

O Banco Central Europeu (BCE) decidiu manter as taxas de juros inalteradas, em linha com o esperado. Com isso, a taxa de refinanciamento segue em 4,50%, a de depósitos em 4,00% e a de empréstimos em 4,75%. As autoridades avaliam que, apesar da pressão sobre os preços seguir em patamar alto, a inflação arrefeceu consideravelmente em setembro. A expectativa do BCE é que as taxas permaneçam em nível elevado por período prolongado, e que sua manutenção por tempo suficientemente longo traga a inflação para a meta no longo prazo.

Clique aqui para ler na íntegra.

Leia também

Leia também

Nossa recomendação de investimentos de outubro | Private Insights

Nicholas McCarthy, Chief Investment Officer (CIO) do Itaú, resume a análise de cenári [...]

O rio Nilo e os ciclos do dólar | Private Insights

Afinal, o desempenho futuro de um investimento independe ou não de seu passado? Os pr [...]

Vídeo mensal: atualizações do cenário macro para outubro

Confira os principais pontos abordados na live que teve a participação de Nicholas Mc [...]