11 dicas para cortar gastos e economizar dinheiro no dia a dia

Itaú

• 9 minutos de leitura

Mulher fazendo contas em seu notebook para cortar gastos e economizar dinheiro

A simples ideia de cortar gastos pode causar incômodo em muita gente. Se for o seu caso, não desista da leitura. Neste post, vamos mostrar como essa estratégia pode ajudar a usar seu dinheiro de forma mais inteligente. Afinal, se você conseguir economizar um pouco por dia, pode chegar ao final do mês com menos dívidas e mais calma. Não é uma boa ideia? E pode ser mais simples do que você imagina, viu? Vamos lá!


Como fazer corte de gastos?

Cortar gastos não significa abrir mão de tudo o que você gosta e custa dinheiro. É importante que você saiba disso para não desanimar com as perspectivas. Pelo contrário. Ao cortar (ou reduzir) gastos menos importantes, você pode economizar dinheiro para realizar grandes planos.


E como fazer isso na prática?


Saiba quanto você ganha e quanto você gasta

Em primeiro lugar, você precisa saber como está seu orçamento pessoal. E o que isso quer dizer? Na prática, significa que você deve criar um controle bem detalhado de quanto ganha e de quanto gasta. Nesse detalhamento, é preciso incluir todas as despesas, mesmo aquelas pequenas do dia a dia, que você até paga em dinheiro.


Se você nunca fez um orçamento pessoal, este post explica tudo isso passo a passo!


Agrupe suas despesas por categorias

Em seguida, você precisa organizar essas despesas em categorias. Por exemplo, restaurante, transporte, supermercado, serviços por assinatura, academia, lazer etc. Fazendo esse mapeamento, você logo poderá visualizar para onde vai o seu dinheiro. Também é importante entender o que é essencial para você e o que pode ser dispensado ou reduzido.


Nunca fez esse tipo de categorização? Também temos um pequeno manual para fazer seu controle de gastos da melhor forma. Confira no link!


Identifique o que é indispensável na sua vida (e respeite suas prioridades)

Cada pessoa tem as suas prioridades e, na hora de cortar despesas, elas devem ser levadas em consideração. Por exemplo, para você pode ser importante nadar na academia todos os dias, mas pode ser dispensável sair todo final de semana para ir ao cinema. Ainda que você faça tudo isso atualmente, se quiser cortar custos, pode considerar eliminar (ou reduzir) o que não é tão essencial para você neste momento.


Cortar gastos tem a ver com escolhas e essas escolhas são muito pessoais. A seguir reunimos uma série de dicas para ajudar nessa caminhada.



11 dicas para cortar gastos e economizar dinheiro no dia a dia

Claro que nem sempre é fácil identificar oportunidades de fazer cortes de gastos no dia a dia. Por isso, organizamos aqui 11 dicas para você descobrir formas de economizar dinheiro sem ter de mudar radicalmente a sua rotina. Vamos a elas!


1. Aprenda a usar o cartão de crédito

A regra básica do uso do cartão de crédito é estabelecer um limite para os seus gastos mensais. Esse limite, claro, deve caber no seu orçamento para que você possa sempre pagar o valor total da fatura, evitando o pagamento de juros.


Mas não é apenas isso. Aprender a usar o cartão de crédito também pode ajudar a economizar dinheiro. Isso porque existem diversos tipos de cartões no mercado e, se você escolher o mais adequado para suas prioridades, poderá ter acesso a vantagens que talvez sejam interessantes neste momento.


Lembra do que falamos sobre o que é essencial e o que é dispensável na sua vida? Se sua prioridade agora for viajar, por exemplo, talvez valha mais a pena ter um cartão atrelado a milhas e viagens. Se o foco for economizar nas compras do mês, há cartões que dão vantagens em supermercados. Agora, se quiser simplesmente gastar menos (em tudo), uma alternativa com anuidade grátis pode ser mais vantajosa.


Tudo depende do que é mais importante para você agora. Para conhecer as alternativas, confira as vantagens de todos os cartões Itaú.


2. Revise tarifas bancárias e anuidade de cartões

Outra dica é revisar tarifas bancárias e anuidade de cartões. Primeiramente, se você tiver mais de uma conta e mais de um cartão de crédito, vale se perguntar se isso é mesmo necessário. Pode ser mais simples e barato ter apenas uma conta e um cartão, inclusive para controlar suas entradas e saídas.


Em seguida, falando especificamente de conta, vale a pena pesquisar no extrato quanto você paga de tarifa e comparar esse valor com alternativas do mercado. O Itaú, por exemplo, oferece pacotes diferentes para diferentes momentos de vida. Há desde uma conta sem mensalidade, com cartão de crédito sem anuidade, até uma conta mais exclusiva, que oferece assessoria completa de investimentos. Será que você precisa de uma assessoria completa agora? Ou uma conta mais básica (e gratuita) resolveria a questão?


Para fazer essa análise, vale checar quanto você paga por mês pelo serviço que contratou e considerar se ele é de fato o mais adequado para seu momento. É importante ainda que essas análises sejam feitas periodicamente porque as nossas prioridades mudam. O que fez sentido no passado, pode não fazer sentido hoje. E, claro, o que faz sentido hoje pode não ser a melhor alternativa daqui a alguns meses ou anos.


A mesma lógica vale para anuidade de cartões. Para saber se vale a pena ter um cartão atrelado a vantagens, faça as contas e compare quanto você paga de anuidade e quanto, de fato, essas vantagens se traduzem em economia. A conta é essa.


3. Pesquise antes de comprar


Parece óbvio, mas nunca é demais lembrar. Pesquisar preços e condições de pagamento antes de fazer uma compra é uma forma eficiente de economizar.


Sabe por quê? Porque você pode encontrar o mesmo produto por um preço mais baixo em uma loja diferente ou de uma semana para outra. Os preços muitas vezes são flutuantes e é importante acompanhar essas variações. Apps como Itaú Shop podem te ajudar a encontrar promoções, descontos e condições exclusivas, por exemplo.


Em segundo lugar, se você pesquisar produtos semelhantes, pode encontrar o que precisa por um preço mais baixo. Vale se perguntar se você realmente faz questão de determinada marca ou precisa de toda a potência que aquele produto oferece. É preciso avaliar.


E, para completar, ao pesquisar produtos, lojas e preços, você tende a pensar antes de decidir uma compra. Ou seja, passa a comprar (se for realmente o caso de comprar) de forma mais consciente.


4. Evite comprar por impulso

Compras por impulso podem ser as grandes vilãs do nosso orçamento e isso independe das nossas prioridades e do que é essencial na nossa vida. É possível que você saiba disso, embora nem sempre consiga evitar essa situação.


O fato é que quando compramos o que quer que seja sem pensar, não pesquisamos preço, não comparamos produtos e não temos tempo de avaliar se aquilo é ou não necessário naquele momento. Resultado: podemos nos arrepender e, o que é pior, fazer dívidas que podem complicar a nossa vida financeira.


E existe alguma forma de evitar que isso aconteça? Existe, sim, pode acreditar. Se você criar algumas regras para suas compras, pode conseguir deixar de fazer isso por impulso. Por exemplo, você pode assumir que a partir de agora só vai comprar um produto depois de pesquisar o preço em 3 ou 4 lojas. Ou que vai pensar pelo menos até o dia seguinte para decidir se precisa adquirir aquele produto ou serviço.


São estratégias simples que podem fazer diferença no final do mês.


5. Pague suas contas no vencimento


Outra dica essencial para cortar gastos é pagar as contas no vencimento para evitar cobrança de juros totalmente desnecessários.


Para ajudar a organizar isso, a dica é colocar as contas de água, luz, telefone, gás, TV a cabo, impostos e faturas de cartão de crédito em débito automático.


É preciso apenas prestar atenção para não descuidar do valor das faturas, especialmente a do cartão, ok? O débito é automático, mas é preciso que haja saldo para os valores serem debitados sem cobrança de juros pelo uso do limite da conta.


6. Aproveite vantagens com pontos e cashback

Já falamos sobre aprender a usar o cartão de crédito, certo? Agora vamos falar especificamente sobre aqueles pontos e cashback (ou seja, a possibilidade de receber dinheiro de volta ao fazer compras) que você acumula quando usa um cartão atrelado a vantagens. É comum que as pessoas usem esse tipo de cartão e simplesmente esqueçam de utilizar seus pontos e cashback para pagar compras em vez de usar dinheiro.


Se você tem algum cartão atrelado a esse tipo de benefício, verifique o que você já acumulou e de que forma pode utilizar esses pontos ou dinheiro. Claro que a ideia não é sair gastando tudo só por gastar. O que queremos é economizar utilizando uma vantagem que você já conquistou para comprar algo que você precisa.


7. Venda o que não utiliza mais


E se você vender aquela bicicleta que comprou na pandemia, mas não teve mais tempo de usar? Vender o que você não usa mais pode ser uma forma de ganhar um dinheiro extra e ainda ajudar outra pessoa a encontrar o que precisava.


Para vender itens usados você pode recorrer a grupos nas redes sociais e sites especializados. Outra estratégia que costuma funcionar é compartilhar esses itens com amigos e colegas de trabalho.


Estamos falando de coisas menores, mas a ideia vale também para carro e moto, por exemplo, que além de valerem mais, ainda geram despesas com seguro e IPVA.


8. Procure lazer gratuito


Se quiser economizar com atividades de lazer você pode ficar atento à programação gratuita, tanto para cultura, quanto para esporte. Procure shows gratuitos, passeios, atividades esportivas abertas em parques, por exemplo.


Em geral, as prefeituras têm esse tipo de programação em seus sites. Vale a pena conferir a programa do Itaú Cultural, por exemplo.


9. Evite comer fora e pedir comida com frequência


Comer fora e pedir comida por delivery são hábitos que costumam custar caro no final do mês. Se você nunca prestou atenção nisso, volte ao seu controle de gastos e observe quanto você gasta mensalmente com isso.


Uma forma de reduzir esse gasto é cozinhando mais em casa. E nem precisa ser uma refeição muito sofisticada, tá? Há opções práticas, como carne grelhada, arroz e salada, por exemplo, que você prepara rapidamente e gasta bem menos do que se fosse comer fora.


E tem outra vantagem: você pode começar a se alimentar de forma mais saudável, o que, indiretamente, também pode gerar alguma economia. Que tal?


10. Economize dinheiro dentro de casa


Trocar a marca do produto de limpeza, apagar as luzes dos ambientes que estiverem vazios, tomar banhos mais curtos, não desperdiçar alimentos e ficar atento aos prazos de vencimento dos produtos que você tem. Essas são algumas pequenas mudanças que você pode fazer na rotina para cortar custos dentro de casa.


Isso sem contar pacotes de internet e telefone, que normalmente são superdimensionados para nossas necessidades. Observe se algo mais em conta pode funcionar para você e calcule a economia mensal que essa mudança pode gerar.


Outra dica é preparar uma lista de supermercado antes de sair para as compras. Vá aos ambientes da casa e confira o que está faltando para evitar gastos desnecessários.


11. Revise suas assinaturas


Aqui está outra oportunidade e tanto de cortar gastos. Revise todas as suas assinaturas, incluindo jornais, revistas, TV, serviços de streaming. Quais delas você utiliza de verdade?


É bem possível que você esteja pagando por alguma assinatura que nem se lembre mais de ter. Faça essa pesquisa e coloque tudo no controle de gastos. Considere o que você pode cortar sem ter de pensar muito e o que pode abrir mão pelo menos por um tempo.


Somando essas pequenas mudanças, como parar de comprar por impulso, vender o que não usa, revisar gastos, entre outras, você pode conseguir um grande corte de despesas no final do mês. E, se precisar de ajuda, acesse o Minhas Finanças Itaú e entenda como ele pode ser seu aliado no controle de gastos diários.