O que é planejamento financeiro? Por que este tema é importante? Reunimos 7 dicas para ajudar a organizar sua vida financeira

Itaú

• 9 minutos de leitura

Mulher fazendo um planejamento financeiro no celular

Você sabe qual é o seu maior sonho neste momento? Comprar um carro, dar entrada no seu apartamento ou até viver de renda sem precisar mais trabalhar? Para sonhar não existem limites, mas transformar esses sonhos em metas que você possa alcançar pode ser mais estimulante. Concorda?


Pensando no seu sucesso, o planejamento financeiro é o caminho mais direto para a transformação de ideias em metas. Por isso, vamos explicar como você pode organizar sua vida financeira, realizar mais e sofrer menos neste processo. Vamos lá.


O que é o planejamento financeiro?

Para começar, vale entender que fazer um planejamento financeiro é basicamente ter uma visão clara do quanto você ganha e do quanto gasta para controlar seu dinheiro, viver com mais tranquilidade e, claro, realizar seus maiores planos.


Afinal, quando você se organiza, acaba conhecendo a motivação dos seus gastos e conseguindo transformar sua relação com o dinheiro em algo mais consciente. Dessa forma, você aprende a prever riscos e evitar impulsos.



Quais são os tipos de planejamento financeiro?

Dependendo do seu momento, existem diferentes formas de personalizar sua organização financeira , planejando seus gastos de acordo com os seus planos atuais. Vale a pena entender essas diferenças para descomplicar sua estratégia.


Já adiantamos que a ideia geral é sempre a mesma. Porém, entre um e outro tipo, existem diferenças que você deve observar para tornar a estratégia mais eficiente.


Planejamento pessoal

O planejamento financeiro pessoal, como o nome já entrega, é aquele que você faz considerando apenas as suas informações. Ou seja, quanto você ganha, quanto você gasta, quais são suas necessidades imediatas, seus planos etc.


Esse tipo de planejamento é geralmente mais utilizado por pessoas que vivem sozinhas ou que têm um orçamento isolado da família e querem realizar suas próprias metas.


Planejamento familiar


O planejamento financeiro familiar, por outro lado, é aquele que envolve mais de uma pessoa. Ele é chamado familiar, mas não necessariamente tem de ser feito por pessoas que pertencem à mesma família. Um grupo de amigos com objetivos em comum pode se organizar desta forma. E, claro, uma família formada por apenas um casal ou por pais e filhos também pode.


A diferença básica entre o planejamento pessoal e o familiar é que o segundo deve levar em conta a soma tanto dos recebimentos quanto dos gastos das pessoas do grupo, além d as metas que elas têm em comum. Certo?


Planejamento empresarial

E qual é a diferença do planejamento pessoal para o planejamento empresarial? Basicamente a diferença é que no planejamento empresarial devem ser considerados receitas, despesas, metas e objetivos da empresa – e não da pessoa física. Nada mais complicado que isso.


Qual a importância do planejamento financeiro?

O planejamento financeiro é importante porque ajuda a enxergar quanto dinheiro nós temos para usar mensalmente, seja pagando contas, comprando ou investindo.


Imagina que quando você cria um controle para entender de fato quanto ganha (líquido, na sua conta mesmo) e quanto gasta (considerando tudo, até aquele pouquinho que paga em dinheiro todo dia) consegue entender quanto sobra ou quanto falta por mês. E daí, claro, é muito mais fácil se planejar para realizar o que quer que seja.


Quais as vantagens de fazer um planejamento financeiro?

Agora vamos a um jogo rápido das principais vantagens de começar a fazer seu planejamento financeiro hoje.


Começando por aqui:


• Você descobre exatamente como está a sua vida financeira para saber se é hora de cortar gastos, correr atrás de uma grana extra ou fazer investimentos mensais;

• Suas finanças ficam muito mais previsíveis;

• Você consegue fazer cálculos rapidamente antes de decidir uma compra por impulso;

• Seus sonhos começam a ganhar data para serem realizados;

• Você passa a visualizar (literalmente) para onde vai o seu dinheiro;

• Fica mais fácil saber onde você pode enxugar gastos;

• Você sabe exatamente quanto pode gastar no cartão de crédito;

• Você consegue ver quais investimentos estão rendendo mais na sua carteira.

Dicas de planejamento financeiro

Agora vamos à prática para você entender como se organizar financeiramente da forma mais eficiente para ter uma vida sem sustos e realizar seus sonhos.


1. Saiba quanto você ganha e gasta

A organização financeira começa com um controle de receitas e despesas. Para isso, o ideal é criar uma planilha para detalhar tudo o que você ganha e o que você gasta, seja em dinheiro, cartão de débito ou cartão de crédito.


Precisa de ajuda com isso? Baixe a nossa Planilha de Controle Financeiro e comece a planejar seus gastos.


  • Faça uma lista de todas as contas

Para descobrir qual é o tamanho do seu gasto mensal, você deve detalhar na planilha todas as suas despesas.

Lembre-se de incluir os gastos que você faz no cartão de crédito e, claro, a própria fatura do cartão.


2. Entenda quanto sobra ou quanto falta por mês

Com todos esses valores controlados, vai ficar mais fácil saber como está o seu orçamento. A pergunta é: a conta fecha? Se o saldo for positivo, quer dizer que você ganha mais do que gasta. Mas não pense que está tudo resolvido porque sempre pode melhorar.


Por outro lado, se o resultado ficar no zero a zero ou for negativo, é necessário rever gastos ou buscar formas alternativas de aumentar sua receita.


3. Entenda como revisar seus gastos

Quando você pensa em revisar gastos para realizar um grande projeto no futuro essa estratégia tende a não ser tão difícil de realizar. Afinal, se você perceber que existe um propósito por trás dessa atitude acabará agindo com mais consciência e boa vontade.


Então, para ajudar a começar, vão algumas dicas para revisar seus gastos:

• Identifique o que é essencial na sua vida e o que pode ser revisto;

• Avalie quais itens do segundo grupo você pode suspender pelo menos por um tempo. Comer fora todo final de semana, por exemplo. É obrigatório ou opcional? Avalie. Essas decisões são muito pessoais. O que é indispensável para você pode não ser tão importante para um amigo.

• Agora, entre que sobraram do segundo grupo, tente identificar aqueles que podem ter um custo reduzido. Por exemplo, você não pode ficar sem internet, ok, mas será que um pacote de dados mais barato não resolve sua necessidade?

• Tenha sempre em mente o sonho ou o projeto que você quer realizar lá na frente.


  • Como evitar dívidas

Para evitar dívidas, a regra básica é não gastar mais do que você ganha. E como saber exatamente quanto você pode gastar? Voltamos ao início do texto. A melhor forma de saber qual é seu limite de gastos é fazendo um planejamento financeiro.


  • Como sair das dívidas (se você estiver endividado)

Se você tiver dívidas e sair delas for o principal objetivo do seu planejamento financeiro, uma boa estratégia é fazer uma renegociação. Isso porque, de modo geral, os bancos oferecem acordos com taxas de juros mais baixas e prazos de pagamento mais longos.


No Itaú, por exemplo, você pode renegociar dívidas por meio dos canais digitais e limpar seu nome cinco dias após o pagamento da primeira parcela. Você não precisa quitar a dívida inteira para ter o nome livre de restrições.


Porém, para que essa renegociação funcione, é preciso que você já tenha iniciado o planejamento financeiro e saiba exatamente quanto ganha, quanto gasta, quanto paga de juros atualmente e quanto poderia pagar mensalmente para quitar suas dívidas.


Não adianta renegociar e não conseguir pagar as prestações, não é? Por isso é importante fazer todos os cálculos para tomar a melhor decisão e resolver essa situação.


4. Defina metas

Chegamos à parte mais estimulante do planejamento financeiro: definição de metas. Quais são os sonhos, planos e objetivos que você quer realizar? Faça uma lista com todos eles.


Depois de criar a lista, divida os itens em grupos de curto, médio e longo prazo. Se possível, faça uma estimativa de custo para cada sonho (ou projeto, como preferir).


A partir de agora, por exemplo, você pode ter a meta de poupar 20% do seu salário. Por que não? Para o médio prazo, a ideia pode ser fazer uma grande viagem. São apenas exemplos, ok?


Também é importante lembrar que essa lista deve ser revisada com frequência. O que hoje é uma meta na sua vida pode não ser mais relevante daqui a dois anos. Da mesma forma, algo que você nem imagina hoje pode se tornar um grande sonho para o longo prazo. Por isso, é importante rever seus objetivos para ter a certeza de que eles continuam relevantes.


5. Poupe e crie uma estratégia para o dinheiro economizado


Agora é hora de fazer todas as contas para saber quanto consegue poupar por mês para realizar seus planos.


Calcule quanto você pode economizar hoje cortando custos, quanto consegue ganhar a mais fazendo trabalhos alternativos (se for o caso). A ideia é que esse valor vá aumentando ao longo dos meses, por isso é importante sempre voltar à planilha para atualizar as informações.


Em seguida, você pode criar um plano para o dinheiro que vai poupar porque a ideia é investir o dinheiro que ficaria parado na sua conta.


6. Invista

O planejamento financeiro inclui uma estratégia para investir o dinheiro que você vai guardar para realizar seus planos. Por isso, é muito importante buscar informações sobre diferentes tipos de investimento e criar uma carteira alinhada ao seu perfil de investidor.


Em geral, o primeiro passo para começar a investir é criar uma reserva de emergência, que dá mais segurança e tranquilidade para o seu dia a dia. Isso porque o valor da reserva de emergência, como o próprio nome já entrega, pode ser utilizado para cobrir algum imprevisto. Imagine, por exemplo, que você tenha um imprevisto com o carro. Se você não tiver essa reserva, talvez tenha de utilizar o limite da conta, o que pode tornar o susto mais caro.


Existem alternativas de investimento para todos os bolsos – de verdade. Há inclusive opções para investir a partir de R$ 1. E não estamos falando apenas de poupança, viu?


7. Planeje o futuro


Por fim, vale a pena planejar o seu futuro. Imagine, por exemplo, o que você precisa fazer hoje para ter um cargo melhor no próximo ano, ou que investimento você poderia começar hoje para ter uma aposentadoria mais confortável, por exemplo.


Quais erros devem ser evitados no planejamento financeiro?

Para que seu planejamento financeiro seja eficiente, também é preciso evitar alguns erros bastante comuns.


• Não diferenciar despesas essenciais de despesas opcionais. Lembra que falamos sobre isso quando reunimos dicas para revisar gastos?


• Gastar mais do que ganha. Nenhum (nenhum mesmo) planejamento financeiro vai dar certo se você não tiver disciplina para fazer todas as suas despesas caberem no seu orçamento.


• Não detalhar todas as suas despesas, inclusive o cafezinho com pão de queijo que você consome antes do cinema.


• Deixar o planejamento desatualizado. Lembre-se de que suas metas podem mudar, assim como suas receitas e despesas. É preciso manter todas as informações atualizadas para que o planejamento faça sentido para o seu momento de vida.


Esperamos que este conteúdo seja útil para você fazer seu planejamento financeiro e descomplicar sua vida. Se quiser ajuda, temos um passo a passo para fazer seu orçamento pessoal e ter mais controle sobre os gasto