Itaú Blog

Economia americana no centro das atenções

Enquanto as autoridades do Federal Reserve reforçaram a determinação em trazer a inflação de volta para e meta, a criação de empregos seguiu sólida nos EUA

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 4 minutos de leitura

Crédito: Getty Images/Itaú Private Bank

O Federal Reserve divulgou nesta semana a ata de sua última reunião de política monetária. O documento deixou em aberto a magnitude da próxima alta de juros, mas reforçou a determinação das autoridades em trazer a inflação para a meta.

Já a criação de emprego seguiu sólida no país em dezembro, o que pressiona o Fed por mais uma alta de 50 pontos-base em fevereiro. Por outro lado, os dados de salários podem sinalizar uma desaceleração mais rápida do que o esperado. Agora, as atenções se voltam para a leitura de inflação de dezembro, a ser divulgada na próxima semana.

Confira, abaixo, mais detalhes dos fatores que impactaram os mercados nos últimos dias.

Ata mostra Fed determinado a trazer inflação para meta

A ata da última reunião do Federal Reserve (Fed, banco central americano) apontou uma preocupação das autoridades em deixar claro que a desaceleração no ritmo de alta de juros não indica um enfraquecimento na determinação em restaurar a estabilidade de preços. Inclusive, destacaram que a revisão para cima nas projeções de juros reforça o compromisso de trazer a inflação para a meta.

Leia na íntegra.

Payroll: EUA criam 223 mil vagas em dezembro

O relatório de folha de pagamentos dos EUA, o Payroll, indicou a criação de 223 mil vagas de trabalho em dezembro, acima das projeções. Ainda assim, houve desaceleração em relação a novembro. A taxa de desemprego caiu para 3,5%, enquanto a expectativa era de manutenção do valor anterior. Já os ganhos salariais por hora trabalhada avançaram 0,3% no mês. Nos últimos 12 meses, a alta foi de 4,6%.

Leia na íntegra.

Inflação desacelera na zona do euro em dezembro

O Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro desacelerou de 10,5% para 9,2% em dezembro, na comparação anual, abaixo das expectativas. Por outro lado, o núcleo do CPI, que exclui as pressões de energia e alimentos, acelerou para 5,2% a/a, mantendo a pressão sobre o Banco Central Europeu (BCE) por mais uma alta de 50 pontos-base nas taxas de juros em fevereiro.

Leia na íntegra.

Produção industrial cai 0,1% em novembro

A Pesquisa Industrial Mensal (PIM) de novembro apontou uma variação mensal de -0,1% na produção nacional, relativamente em linha com as expectativas. Frente a novembro de 2021, a indústria cresceu 0,9%. Esperamos que o setor siga relativamente estável e que a produção industrial encerre o quarto trimestre de 2022 em campo negativo, evidenciando as vulnerabilidades do setor.

Leia na íntegra.

Indicador de atividade industrial recua na China

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial da China divulgado pela Caixin/Markit recuou em dezembro e permaneceu em patamar que indica contração da atividade. A leitura aponta para um movimento semelhante ao PMI divulgado pelo governo, que também apontou queda, porém mais acentuada, refletindo o impacto da alta de casos de Covid-19 no país.

Leia na íntegra.