Itaú Blog

Economia americana segue resiliente

Economia e mercados: enquanto o PIB brasileiro cresceu menos do que o esperado no terceiro trimestre, nos EUA, o Payroll reforça uma economia resiliente

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 4 minutos de leitura

Crédito: Getty Images/Itaú Private Bank

O PIB brasileiro do terceiro trimestre avançou, mas veio abaixo do esperado pelo mercado. Nossa expectativa é que o crescimento econômico continue desacelerando, mas o resultado e a revisão da série colocam um viés de alta na nossa projeção do PIB de 2022.

Nos Estados Unidos, a inflação americana medida pelo Núcleo do PCE desacelerou, enquanto o relatório de folha de pagamentos dos Estados Unidos, o Payroll, surpreendeu o mercado e apontou uma economia resiliente, mesmo que em gradual desaceleração.

Confira, abaixo, mais detalhes dos fatores que impactaram os mercados nos últimos dias.

PIB avança menos do que o esperado no 3T22

O PIB do Brasil avançou 0,4% no terceiro trimestre de 2022, em comparação com o anterior, com alta nos serviços e indústria. A variação, em relação ao mesmo período de 2021, chegou a 3,6%. No ano, o PIB acumula alta de 3,0%. Os resultados ficaram ligeiramente abaixo das expectativas e mostram uma desaceleração no segundo semestre do ano.

Leia na íntegra.

Produção industrial cresce em linha com o esperado

A produção industrial variou 0,3% no mês, em linha com as expectativas. Apenas sete das 26 atividades pesquisadas cresceram na variação mensal, mostrando fraqueza generalizada no setor em outubro. Esperamos que a indústria permaneça relativamente estável e que a produção industrial encerre o 4T22 em campo negativo, evidenciando as vulnerabilidades do setor.

Leia na íntegra.

Payroll: EUA criam 263 mil vagas em novembro

O Payroll indicou a criação de 263 mil vagas de trabalho em novembro, acima das projeções do mercado. Ainda assim, houve uma ligeira desaceleração em relação à leitura de outubro. Já taxa de desemprego permaneceu inalterada, em 3,7%, enquanto os ganhos salariais por hora trabalhada avançaram acima das expectativas no mês.

Leia na íntegra.

Inflação americana medida pelo Núcleo do PCE desacelera

O núcleo do PCE dos EUA, que exclui as pressões de energia e alimentos, desacelerou em outubro tanto na comparação mensal quanto anual. Apesar do arrefecimento, os dados de consumo aceleraram e apontam a resiliência da economia, reforçando uma possível desaceleração no ritmo de alta de juros, mas uma taxa terminal mais alta.

Leia na íntegra.

Inflação desacelera na zona do euro em novembro

O Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro registrou a primeira desaceleração em 1 ano e meio. Na comparação anual, a alta foi de 10% em novembro. Ainda que em alto nível, o resultado abaixo do esperado oferece um argumento mais forte para que o Banco Central Europeu (BCE) desacelere o ritmo de alta dos juros.

Leia na íntegra.

China anuncia medidas de suporte à vacinação

A China acelerou a vacinação de idosos e a aplicação de doses de reforço no país. As novas medidas, além do tom mais brando em relação à Covid adotado pelas autoridades após protestos recentes, melhoram as perspectivas para uma possível reabertura da economia em 2023. O governo também anunciou medidas para apoiar o financiamento do mercado imobiliário.

Leia na íntegra.