Itaú Blog

China bate meta de crescimento para o PIB de 2023

Economia e Mercados: PIB da China cresceu 5,2% em 2023; na Europa, BCE manteve o tom de cautela com relação aos próximos passos

Foto do Autor

Itaú Private Bank

• 4 minutos de leitura

Crédito: Getty Images/Itaú Private Bank

O PIB da China foi um dos destaques na agenda dos investidores nesta semana. O crescimento da atividade econômica no país alcançou a meta do governo para 2023. Para este ano, esperamos que o governo estabeleça meta semelhante.

Na Europa, enquanto o mercado avalia quando o BCE irá começar o processo de corte nos juros, a ata da última reunião de política monetária sinalizou que as autoridades ainda não começaram a debater o assunto. Agora, as atenções se voltam para a decisão do BCE da próxima semana, quando os investidores buscarão novas pistas sobre o início do ciclo de cortes nas taxas de juros.

Confira mais detalhes a seguir.

Setor de serviços cresce no Brasil em novembro

O volume de serviços do Brasil cresceu 0,4% em novembro, interrompendo uma sequência de três resultados negativos e em linha com as expectativas. Na comparação com novembro de 2022, o indicador assinalou a terceira taxa negativa consecutiva (-0,3%). O setor, em especial os serviços prestados às famílias, tem mostrado maior volatilidade nos últimos meses, em parte influenciado pela realização de grandes festivais de música no período. Para dezembro, nosso indicador diário, IDAT-Atividade, aponta para uma desaceleração dos serviços prestados às famílias.

Clique aqui para ler na íntegra.

Vendas no varejo ampliado crescem 1,3% em outubro

O volume de vendas no comércio varejista ampliado cresceu 1,3% em outubro em relação ao mês anterior, acima das projeções (0,5%). Na comparação anual, o indicador registrou alta de 4,3%. Já no conceito restrito (que desconsidera veículos, motos, partes e peças, além de material de construção), as vendas subiram 0,1% no mês, em linha com as expectativas. Na comparação anual, a alta foi de 2,2%. Para dezembro, nosso indicador diário de atividade (IDAT) aponta para uma alta nas vendas no varejo, encerrando o 4T23 em território positivo.

Clique aqui para ler na íntegra.

IBC-Br fica praticamente estável em novembro

O Banco Central divulgou o Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) de novembro, que subiu 0,01% na comparação mensal, ficando praticamente estável e interrompendo uma sequência de quedas do indicador. A leitura veio acima da expectativa de mercado, que era de uma retração (-0,2%). Na comparação anual, a alta foi de 2,19%, também surpreendendo o mercado. Os dados divulgados até o momento sugerem alguma desaceleração da atividade econômica no 4T23. O nosso tracking (estimativa de alta frequência) para o PIB do quarto trimestre segue em -0,2% tri/tri (+1,8% a/a).

Clique aqui para ler na íntegra.

Ata do BCE: sem sinalização para cortes nos juros

A ata da última reunião do Banco Central Europeu (BCE), quando as taxas de juros seguiram inalteradas, manteve o tom de cautela com relação aos próximos passos, reforçou que as autoridades planejam manter o aperto monetário pelo tempo necessário e que não havia espaço naquele momento para iniciar o processo de cortes. A mensagem, associada a recentes falas de membros do BCE levantando a possibilidade de iniciar o ciclo de cortes em junho, modera o argumento para o início do processo em abril, apesar do cenário benigno de inflação.

Clique aqui para ler na íntegra.

Produção industrial e vendas no varejo avançam nos EUA

As vendas no varejo dos EUA cresceram 0,6% em dezembro, acelerando frente a novembro. O grupo de controle, que tem maior relação com o componente de consumo do PIB, avançou 0,8%, acima do resultado anterior. Já a produção industrial subiu 0,1%, enquanto a leitura anterior foi revisada para baixo (0,2%). A utilização da capacidade da indústria, por sua vez, seguiu em 78,6%. Em geral, as leituras vieram acima do esperado. O forte resultado do varejo reforça um quadro de atividade resiliente sustentada pelo consumo, enquanto a indústria segue fraca.

Clique aqui para ler na íntegra.

PIB da China cresce 5,2% em 2023

O PIB da China cresceu 5,2% a/a e 1,0% tri/tri, no 4T23. Assim, a economia cresceu 5,2% em 2023, dentro da meta de “ao redor de 5%” do governo. Os dados de atividade referentes a dezembro vieram, contudo, mistos. A produção industrial veio em linha com as expectativas (6,8% a/a), enquanto as vendas no varejo ficaram abaixo do esperado (7,4%). Os investimentos em ativos fixos subiram 3%, acima da leitura anterior e do projetado. A taxa de desemprego teve uma ligeira alta, para 5,1%, enquanto o setor imobiliário seguiu dando sinais de fraqueza. Para 2024, mantemos nossa projeção do PIB em 4,7%, considerando novos estímulos.

Clique aqui para ler na íntegra.

Eleições em Taiwan

Lai Ching-te (do Partido Democrático Progressista, mais inclinado à independência de Taiwan) foi eleito presidente com 40% dos votos. O resultado veio em linha com o esperado e com as pesquisas de intenção de voto. Apesar da vitória de Lai ser considerada negativa por Pequim, nas eleições parlamentares, a maioria dos assentos ficou com a oposição, o que serve como um fator de estabilização na região, uma vez que limitará as ações de Lai no poder. A expectativa dos nossos consultores políticos é que as tensões entre China e Taiwan permaneçam estáveis no curto prazo.

Clique aqui para ler na íntegra.

Crise no Mar Vermelho: inflação à vista?

Os conflitos no Oriente Médio têm reacendido preocupações inflacionárias e elevado o risco de escalada na região. Após uma série de ataques no Mar Vermelho, companhias começaram a desviar suas embarcações do Canal de Suez, optando por rotas mais longas e que aumentam os custos de fretes, o que pode refletir nos preços de bens importados com alguma defasagem, ainda que uma parte dessa pressão possa se traduzir em margens de lucro mais baixas, em vez de preços mais elevados. Também é possível que os mercados de energia enfrentem pressões ascendentes sobre os preços, mas como de fato os acontecimentos pressionarão a inflação ainda é algo incerto.

Clique aqui para ler na íntegra.

Leia também

Leia também

Transição econômica da China: de tijolos a microchips | Private Insights

Neste artigo, analisamos os recentes movimentos do governo, quais as dificuldades a s [...]

Revisamos nossos cenários: 10 temas globais e 10 locais para 2024 | Private Insights

No Radar do Mercado: aproveitamos o início do ano para fazer uma revisão de cenário e [...]

Retrospectiva 2023 para a bolsa brasileira | Private Insights

Neste artigo, analisamos os fatores por trás da performance do principal índice brasi [...]